Revolução serve para tudo!?!

O ex-presidente cubano Fidel Castro, Ernesto 'Che' Guevara e Karl Marx são os protagonistas do anúncio sobre um novo modelo da automóvel que está a ser lançado na Alemanha pela Dacia-Renault.

A revolução a ser utilizada como pretexto para vender um carro.

Na minha opinião exigia-se um mínimo de respeito dos autores deste anúncio, Fidel Castro não faleceu (se bem que é o desejo de muitos milhares de sanguinários).

8 comentários:

poesianopopular disse...

Isto são provocações torpes e cabardes, porque têm a certeza que nada lhes acontece por isso, a melhor forma de lidar com isto é ignorar, e despresar.
José Manangão

samuel disse...

Ultimamente até a imaginação de muitos publicitários anda notóriamente por baixo. É a crise!
De ideias, de valores e de talento...

GR disse...

Provocação nojenta!
O que faz o capitalismo.
Até o marketing sofre de acefalia criativa.

GR

Sal disse...

Não, vocês não compreenderam...
Na verdade o que querem transmitir é que a Alemanha precisa de uma revolução. Não admira, eles tem a Angela Merkle como Chanceler. E mais:

Estou solidária com a futura revolução na Alemanha!

bjs

Antuã disse...

Viva a revolução Socialista. Abaixo o Capitalismo!

Antuã disse...

Viva a revolução Socialista. Abaixo o Capitalismo!

Antuã disse...

Viva a revolução Socialista. Abaixo o Capitalismo!

Anónimo disse...

FRANCAMENTE É PRECISO NÃO TER MESMO VERGONHA PARA LOUVAR AS ACÇÕES DO SR. FIDEL CASTRO.
SÓ QUEM NÃO VISITOU CUBA É QUE PODE DIZER QUE O REGIME COMUNISMO DESSE SENHOR E SEUS SEGUIDORES É UMA BOA POLITICA E UMA ALTERNATIVA CREDÍVEL Á DEMOCRACIA.
QUEM VIAJAR PELAS ZONAS RURAIS (ENEM SÓ) VÊ UM PAÍS POBRE (CHEIO DE GENTE BOA SIM ) ONDE TUDO FALTA, ONDE TUDO É PROIBIDO. NOTE-SE ATÉ Á BEM POUCO TEMPO ATÉ O TÉLEMÓVEL, O MICROONDAS E A ENTRADA DE CUBANOS EM HÓTEIS TURISTICOS, ERA PROÍBIDA.
QUE REGIME MARAVILHOSO O VOSSO.

PREFIRO O CHAMADO CAPITALISMO E TER UM EMPREGO NUMA EMPRESA PRIVADA. QUE UM SISTEMA ONDE TUDO SEJA NACIONALIZADO E NÃO HAJA EMPREGO NEM SALÁRIO PARA NINGUÉM.

MARCOS SANTOS