DEMOCRACIA DE AGUALUSA

José Eduardo Agualusa, escritor de origem angolana, declarou, em entrevista ao jornal Angolense, que «Agostinho Neto foi um poeta medíocre» - acrescentando que só quem não percebe nada de poesia é que poderá pensar o contrário.
Aproveitando a embalagem, Agualusa estendeu a qualificação de «medíocres» a dois outros poetas angolanos: António Jacinto e António Cardoso.

Responderam-lhe - contestando veementemente a sua opinião - vários escritores angolanos.

Agualusa, irritado, considerou essas opiniões provenientes de «mentalidades que ainda não são democráticas» - e, do alto da sua incomensurável sabedoria, ensinou que «quem não aceita as críticas não sabe nada de democracia».

Assim, em duas penadas, Agualusa decidiu o que havia que decidir:
1 - quem não concordar com a sua visão de poesia não «percebe nada» do assunto;
2 - quem manifestar publicamente esse desacordo «não sabe nada de democracia».

Que grande democrata que é este Agualusa!

Assumindo o risco de ser considerado um ignorantão em matéria de «democracia» e de «poesia», afirmo a minha total discordância com a opinião «democrática» e «poética» de Agualusa - e decido dedicar os meus três próximos posts de poesia aos poetas angolanos Agostinho Neto, António Jacinto e António Cardoso.

7 comentários:

zambujal disse...

E fazes muito bem!
Até porque isto do que se gosta ou não gosta em poesia tem muito que se lhe diga... muito para além do que digam os professores em poesia, como Água(s)lusas.
Cá por mim, até quero dizer, na oportunidade, que dos primeiros poetas que "me encheram as medidas" (ignorantes que elas sejam as minhas medidas...) até foi o António Jacinto lá para os idos anos 60...
Mas isto do bom senso e do bom gosto, são coisas de sempre. Que Águalusa se precate pois pode haver quem ache que ele não é um... grandecíssimo escritor, embora tenha ideias giras.

Antuã disse...

A arrogância é irmã gémea da ignorância. Até a Água tem que se precaver pois pode deixar de ser Luso e tornar-se em esgoto.

Maria disse...

Assim se fala, ou seja, assim se escreve.
Não é por nada, mas vou levar os poemas do A. Neto e do A. Jacinto para publicar no meu blog. É que a poesia angolana (e não só) anda arredada da net....
Abraço

Fernando Samuel disse...

zambujal: Agostinho, António Jacinto e muitos outros foram poetas da resistência - da nossa resistência comum...
Um abraço

antuã: neste caso parece que a fronteira entre uma coisa e outra é bastante ténue...
Um abraço

maria: e eu irei relê-los ao cheiro da ilha.
Um beijo amigo.

Justine disse...

Junta aí mais uma ao grupo dos "ignorantões"...

GR disse...

Deram-lhe muito protagonismo e rapidamente subiu-lhe à cabeça a vaidade.
Conheço alguns poemas do Agostinho Neto, dos outros dois poetas que falas, não.
Gosto muito da poesia cheia de sensibilidade de Agostinho Neto, respeito muito o seu percurso político.
Não sabia que o Agualusa era tão presunçoso, desrespeitador e até antidemocrático!

GR

Fernando Samuel disse...

justine: nós, os ignorantões, felizmente somos muitos - e ainda bem que há poetas como os que Agualusa rejeita...
Um beijo amigo.

gr: Agualusa é «um herói do nosso tempo»...
Um beijo amigo.