POEMA

CANÇÃO DO SEMEADOR


Eu estou semeando,
a terra da minha amada ser-me-á fecunda.

Eu estou semeando,
eu estou possuindo o corpo suave da minha amada,
eu tomei o arado, abri as leivas, lancei as sementes,
milhões de homens, milhões de palavras, milhões de searas
tudo será novíssimo.

Eu estou semeando,
milhões de sementes nesta hora lanço à terra da minha amada,
benéficas me serão as chuvas,
as colheitas virão em breve no seu tempo
e todas as dores terão sido necessárias,
tudo estará saldado.

Eu estou semeando,
eu estou semeando milhões como NÓS,
eu estou semeando as novas searas abundantes,
eu estou semeando as novas palavras humanas,
eu estou semeando na terra da minha amada.

Eu estou semeando,
o ventre da minha amada eu o perfumei
de rosmaninho silvestre,
a terra da minha amada é vermelha e fecunda,
eu lanço as sementes e estou vendo o futuro,
vejo as searas e as vinhas e os homens em flor.

Papiniano Carlos
(In A ave sobre a cidade)

8 comentários:

Justine disse...

FS, também tu estás semeando, mostrando-nos a excelente poesia que alguns pretendem calada.

...estou perturbada com o teu elogio, vindo de quem vem...quem sabe, eu não tenha estado a absorver um pouco da poesia que aqui leio todos os dias. Obrigada pela generosidade:))

samuel disse...

É muito bonito!
Com uns ares de Salomão e o seu "Cântico dos Cânticos"...

Abraço

GR disse...

Lindo!
Grande privilegio o meu, poder ler novos e belíssimos poemas.
Obrigada,

GR

Sal disse...

Concordo com a Guida. Faço minhas as suas palavras.
Somos umas sortudas por podermos ler poesia como esta, belísssima.

Beijinhos, Fernando Samuel, e obrigada pelas "novas palavras humanas" que por aqui são semeadas.

Fernando Samuel disse...

justine: não é generosidade, «aquilo» é mesmo de grande qualidade.
Beijo amigo.

samuel: o belíssimo Cântico dos Cânticos anda por ali, sem dúvida...
Abraço amigo.

gr: O Papiniano é teu vizinho...
Beijo amigo.

sal: ainda bem que gostaste. Este é um dos muitos poetas que, por óbvias razões, são sistematicamente silenciados.
Um beijo amigo.

poesianopopular disse...

Será que vocês ainda tinham esperança que estes terroristas culturais fossem divulgá-lo?
Desta gentalha , só podemos esperar o pior!
Nem de propóstito, nete momento estou a ver na SIC um padre a cantar de crucifixo na mão, blá blá blá milagre etc.
Vou ficar por aquí senão ainda me cortam o pio.
José Manangão

Fernando Samuel disse...

josé manangão: essa esperança, eu não tinha... por isso o divulguei...
Abraço.

Antuã disse...

A poesia vencerá.