POEMA

TURNO

primeiro a neve.

depois da última neve
o primeiro filho.

depois das últimas dores de parto
a primeira comunhão.

depois da última porcaria
o primeiro amor.

depois da última palavra
a primeira hipoteca.

depois do último centavo
a primeira guerra mundial.

depois da última advertência
o primeiro fiscal.

depois da última instância
o primeiro clube de futebol de nuremberg.

depois da última camisa
o primeiro auxílio.

depois da última idiotice
o primeiro violino.

depois da última honraria
o primeiro cantar do galo.

depois da última porcaria

por fim

a primeira neve.


Hans Magnus Enzensberger

5 comentários:

GR disse...

A vida vista por um poeta que não põe flores, nem doces aromas na poesia.

Gostei muito.

GR

poesianopopular disse...

Realmente a regra tem sido esta!
é sempre depois da ultima coisa que se parte, para outra,.
Cá no burgo,nem depois da ultima, -o galo perdeu o pio!

Fernando Samuel disse...

gr: a Vida é poesia...
Um beijo amigo.

josé manangão: apesar de tudo, vamos andando...
um abraço amigo.

Maria disse...

Não conhecia.
Obrigada por teres publicado. Gostei...
Um beijo

Fernando Samuel disse...

maria: um beijo grande.
(temos saudades tuas)