POEMA

CICLO

O molar solitário duma prostituta
que morrera no anonimato
tinha uma aplicação de ouro.
Os restantes, como por mudo acordo tácito,
tinham caído.
O funcionário da morgue arrancou-o,
pô-lo no prego e foi dançar.
É que, dizia ele,
só o que é terra à terra deve voltar.

Gottfried Benn

3 comentários:

samuel disse...

"Os restantes, como por mudo acordo tácito,
tinham caído."

Extraordinário! :)

poesianopopular disse...

Vitima para além do fim!
Oportunismo sem limites!
Será da condição humana?

GR disse...

Todos andam atrás do mesmo.

GR