Alegre, uma estória pouco coerente

Manuel Alegre já avisou que se continuar no PS (alguém tem dúvidas que morrerá no PS?) votará no Sócrates em 2009. Não foi preciso muito, como se previra, para Manuel Alegre voltar ao que sempre foi: apoiante incondicional das políticas de direita. Vem isto a confirmar que o comício de Terça-Feira não foi mais que um comício porque sim, um comício para se dizer aquilo que se não faz. Coerente, não?

4 comentários:

Fernando Samuel disse...

No PS ou fora dele, Alegre será sempre aquilo que tem sido e é: um apoiante da política de direita, iniciada em 1976 por Soares e prosseguida de então para cá pelos sucessivos governos PS/PSD.
O facto de esse apoio surgir, quando é necessário, em nome da «esquerda», é tão-somente um caso de desonestidade política.

Antuã disse...

Alegre igual a si próprio. Não falha.

Maria disse...

Coerência é o que não lhe(s) falta, NUNCA!!!

poesianopopular disse...

Até parece que vocês não conhecem aquela "segurem-me que eu mato-os"
-e ainda há o outro "quantos são" Há mas esse é doutro filme, desculpem!
Áh áh áh áh.