NÃO PASSOU

O Tratado Porreiro, Pá foi derrotado pelos irlandeses - os únicos que foram chamados a dar opinião sobre o assunto.
Trata-se de um acontecimento de enorme importância e significado.

As golpaças dos promotores da «coisa» não foram suficientes.
Não bastou a manobra de remeter a decisão para o aconchego dos parlamentos, com a aprovação previamente assegurada.
Não bastou o desavergonhado envolvimento no referendo irlandês de todos os países que fugiram de o fazer em suas casas.
Nada bastou: o Tratado NÃO PASSOU!
O NÃO irlandês deu-lhe o destino que merecia: o CAIXOTE DO LIXO.

Para já...
Fica a pergunta necessária: que outras manigâncias vão eles engendrar, agora?

13 comentários:

Jorge disse...

Pois é...para já. Porque as intervenções que se têm seguido ao conhecimento do resultado não nos deixam inteiramente tranquilos pelo concordo com a pergunta...que outras manigâncias vão eles engendrar?

José Neves disse...

Entretanto devem fazer revisão constitucional... Se a França o fez, porque não fará também a Irlanda?

José Neves disse...

" confirmando assim os prognósticos de que uma abstenção elevada beneficiaria o “não”. " este Público... O não só ganhou porque quem ia votar sim não foi votar. Não ia julgar estranho se o Parlamento irlandês se usasse desta frase para aprovar o tratado...

Antuã disse...

porreiro Pá, aquilo é Gente de Raça!...

Maçã de Junho disse...

Porreiro pá!!!!!!!

poesianopopular disse...

O tratado europeu só pode ser feito com a colaboração dos povos europeus e nunca ,contra a sua vontade.

samuel disse...

Todas as que o descaramento permitir. E temos visto a dimensão do seu descaramento.

Crixus disse...

Pois é, o caixote do lixo é o sitio certo para este Tratado. Agora vão surgir ideias para contornar a vontade do povo irlandes (e não tenho duvidas em afirmar tambem da maioria dos povos europeus), mas este parece-me definitivamente morto e enterrado. E logo um tratado que abria as portas para conquistas tão importantes como semanas de trabalho de 65 horas, a privatização de todos os serviços sociais e coisas semelhantes, que pena... que têm os Belmiros desta Europa.

pintassilgo disse...

´´E tempo de todos os povos da Europa exigirem ser ouvidos. Que uma onda de revolta inunde toda a Europa.

GR disse...

A "democracia" deles é a que lhes convêm!
Se o Sim tivesse ganho nada acontecia, vangloriavam-se, como fez ontem o Sócrates ao afirmar: “é importante esta vitória (Sim) para a minha carreira política”, tal era a certeza. Eles que não nos deixaram fazer o Referendo. Estava tudo sobre controlo. Enganaram-se!
Como o NÃO venceu, têm que estudar o problema. Durão apela à reflexão e à continuação da ratificação. Ou seja, todos juntos vão tentar arranjar uma tramóia. Atitude de um vulgar ditador.

GR

Sal disse...

Mil manigâncias que engendrem, mil e uma resposta terão da nossa parte.

Caraças!


bjs

Fernando Samuel disse...

jorge: as manigâncias aí estão...

josé neves: e a abstenção não foi tão grande como eles têm tentado fazer crer: o DN de ontem falava em cerca de 50%.

antuã: o povo irlandês votou por todos os povos da UE.

macã de junho: Porreiro, pá!...

josé manangão: só que um tratado à vontade dos povos, os «chefes» não permitem...

samuel: como estamos a ver...

crixus: é precisamente por causa dessas «conquistas» que, para eles, vale-tudo...

pintassilgo: esse é o (quase) único caminho...

gr: todas aquelas cabeças a pensar, vão encontrar a «solução» que convém à «democracia» deles...

sal: «caraças!»: vamos a eles!...

Anónimo disse...

Não há democracia! Os governos são eleitos de entre 2 ou 3 partidos iguais que querem manter todos o capitalismo de mercado e ninguém quer votar em comunistas nem fascistas porque pensam que vem aí um hitler ou um estaline.
E quando estes tratados deviam ser sempre referendados, não nos dão o direito que temos de votar. E quando um país referenda e vota legitimamente numa das opções, vêm logo muitos democratas dizer que foi um incidente, e que é uma crise. Ora, o resultado da democracia é um incidente??? É uma crise???
E digo mais, não só devia ter sido referendado em todos os países como até o devia ter sido antes de estar o tratado feito. Como no referendo do aborto, primeiro foi referendado e só depois se fez a lei e se regulamentou.
Aquilo é que foi um espectáculo todos os ministros a assinar o tratado com pompa e circunstância tudo à nossa custa e sem o nosso acordo. NÃO HÁ DEMOCRACIA!