POEMA

A ÚLTIMA MOEDA

Gasta a última moeda, companheiro,
e avança contra o vento contrário,
homem despedaçado mas inteiro,
nem tu, nem ninguém escreve o teu diário,

- mas se o entusiasmo fosse dinheiro
serias milionário.

Sidónio Muralha

4 comentários:

Justine disse...

Há que tempo não lia nada de Sidónio Muralha. Belíssimo!
Obrigada, um beijo de bom fds

samuel disse...

Bom... pelo menos "pequeno e médio" rico... :)
Muito bom!

Abraço

poesianopopular disse...

Ora aquí está uma bela receita do Sidónio Muralha!

Fernando Samuel disse...

justine; belíssimo, sem dúvida.
Um beijo.

samuel: «pelo menos...»
Abraço.

gr: e é que é mesmo.
Beijo.