VASCO SEMPRE!

CARTA A AIDA GONÇALVES
(11 de Junho de 2005)

«Estimada amiga:

Con profundo pesar recibimos la notícia del fallecimiento del entrañable compañero Vasco Gonçalves, amigo inolvidable de nuestra Revolución.

Guardo en mi memória los momentos que compartimos juntos y su invariable solidaridad hacia Cuba e el Tercer Mundo.

Su lucha incansable por las causas justas de la humanidad perdurará por siempre en el recuerdo de los revolucionarios que conocimos su obra. Estoy convencido que la historia contemporánea de Europa y, especialmente la de Portugal, no podrá prescindir del legado de Vasco Gonçalves.

Recibe, estimada amiga, en este momento de profundo dolor, nuestras más sentidas condolencias.

Fidel Castro»

7 comentários:

Crixus disse...

Nunca esqueceremos o companheiro Vasco e tudo o que o povo portugues conseguiu com ele, num espaço de tempo tão curto mas tão intenso. A melhor homenagem é lutar pela defesa de tudo o que ele ajudou a conquistar e por outras conquistas que não foram conseguidas.

Anónimo disse...

É esse o caminho.Como, felizmente, temos memória, podemos sempre reviver aquele tempo mágico em que um primeiro-ministro português falou a voz do povo, da "arraia miuda".
Um homem honrado, um coração generoso, um verdadeiro humanista. Todas as suas palavras eram sinceras e nós sentíamos que ele conhecia e entendia as nossas dificuldades. Fez tudo o que pode para as tentar resolver ou, pelo menos, atenuar.
Ficará na nossa História como um exemplo, uma referência e um contraste com os homúnculos que, temporariamente, tomaram conta deste país.

Campaniça

Fernando Samuel disse...

crixus: a melhor homenagem que lhe podemos prestar é essa que referes.
Abraço amigo.

campaniça: pela primeira - e, até agora,única vez - Portugal teve um primeiro-ministro que representava, de facto, os trabalhadores e o povo.
Um beijo amigo.

Antuã disse...

O companheiro Vasco perdurará na nossa luta, sejamos dignos dele.

Antuã disse...

O companheiro Vasco perdurará na nossa luta, sejamos dignos dele.

GR disse...

Comoveu-me ler esta carta.
Dois grandes nomes.
A Campaniça já disse tudo, de uma forma bonita e sentida.
Quando ouço, Vasco Gonçalves sinto um aroma da Liberdade e a vontade de continuar a Lutar!

GR

Maria disse...

Tanta saudade, de tudo...

Beijo