POEMA

ESTRADA NOVA


Nós estamos jogando picaretas de aço,
ó montanha negra nós te venceremos!
Vimos em fúria dos confins do mundo,
vimos em fúria dos confins do mundo,
nós estamos jogando picaretas de aço!

É uma estrada nossa, é uma estrada nova
ó companheiros do sangue vermelho!
Nós estamos jogando picaretas de aço,
nós estamos jogando picaretas de aço,
é uma estrada nossa, é uma estrada nova!

Vimos em fúria dos confins do mundo,
picaretas vibrai, abatei a montanha!
Nós estamos rasgando uma estrada nova,
vimos em fúria dos confins do mundo.


Papiniano Carlos

6 comentários:

Justine disse...

E a fúria manter-se-á, até que a montanha seja derrubada!
Que força!!

samuel disse...

A montanha treme e abre fendas...

Maria disse...

Repetiremos o que for preciso as vezes que forem necessárias!
Para rasgarmos uma estrada nova!
Isto vai, Fernando Samuel, isto vai!

Um baijo grande

Ana Camarra disse...

Pois cá estamos, continuamos, lutamos e acreditamos....

Beijos

Fernando Samuel disse...

justine, samuel, maria, ana: nós venceremos a montanha negra!


Beijos. Abraço.

maria teresa disse...

O GRANDE ESPELHO

Vivemos
sobo grande espelho.
O homem é azul!
Hossana!

Federico García Lorca