POEMA

VIRÁ!


Virá!
Oiço o seu ruído.

Garanto-vos a luz
para breve. Prometeu
fogo e amor à terra.
Por isso canto e amo.

Virá! Oiço o seu ruído!
Então, ai dos soturnos;
dos que agora mancham
este querido mundo.


Jesus Lopez Pacheco

8 comentários:

samuel disse...

Como dizia o "de Queirós"... sairão com benzina. Muita benzina!

Maria disse...

Vira!
que venha rápido, que já não se aguenta mais...

Um beijo grande

Ana Camarra disse...

Virá sim e está cada vez mais perto!


BEIJO

Ludo Rex disse...

Virá e está bem perto...
Abraço

GR disse...

Quando vier, nós estaremos aqui.
Um pouco cansados mas, cheios de alegria e ânimo.

GR

Fernando Samuel disse...

Samuel: ai das nódoas...
Abraço.

Maria: bem merecemos que venha...
Beijo grande.

Ana Camarra: cada vez mais perto, cada vez mais perto...
Beijo.

Ludo Rex: este rumor que se aproxima...
Abraço.

GR: estaremos aqui porque faremos parte da «viagem»...
Um beijo.

Justine disse...

Sempre o sonho e a esperança!

Fernando Samuel disse...

justine: a comandarem a vida...

Um beijo.