POEMA

A CADA UM...


A cada um chega um pouco
do que para todos chega.
Quem o quer diz-se que é louco.
Mas por que é que se lho nega?
É porque a verdade assusta
que a mentira persuade.
A unidade mais justa
nasce da variedade.
Querer só não é querer.
Não há querer sem acção.
O próprio pão, para o ser,
primeiro rebenta o chão.


Armindo Rodrigues

6 comentários:

Maria disse...

Confesso que não conhecia este poema de Armindo Rodrigues...
Tão verdadeiro...

Um beijo grande

Ludo Rex disse...

A unidade mais justa nasce da variedade...
Abraço

Ana Camarra disse...

Fernando Samuel

A verdade assusta de que maneira, é ver como ficaram árrasca depois do Congresso.

um beijo muito grande

samuel disse...

Que coisa bonita!

Abraço

CRN disse...

Fernando,
Bonito, bonito, como a verdade.

A revolução é hoje!

Fernando Samuel disse...

Maria: verdadeiríssimo...
Um beijo grande.

Ludo Rex: e nasce...
Um abraço.

Ana Camarra: aquele Congresso incomodou muita gentinha...
Um beijo.

samuel: pois é!
Um abraço.

CRN: exacto: como a verdade!
Abraço.