POEMA

NATAL UP-TO-DATE


Em vez da consoada há um baile de máscaras
Na filial do Banco erigiu-se um Presépio
Todos estes pastores são jovens tecnocratas
que usarão dominó já na próxima década

Chega o rei do petróleo a fingir de Rei Mago
Chega o rei do barulho e conserva-se mudo
enquanto se não sabe ao certo o resultado
dos que vêm sondar a reacção do público

Nas palhas do curral ocultam microfones
O lajedo em redor é de pedras da lua
Rainhas de beleza hão-de vir de helicóptero
e é provável até que se apresentem nuas

Eis que surge no céu a estrela prometida
Mas é para apontar mais um supermercado
onde se vende pão já transformado em cinza
para que o ritual seja muito mais rápido

Assim a noite passa. E passa tão depressa
que a meia-noite em vós nem se demora um pouco
Só Jesus no entanto é que não comparece
Só Jesus afinal não quer nada convosco


David Mourão-Ferreira

6 comentários:

samuel disse...

É... parece que Jesus deixou de comparecer numas tantas festas. Desconfio que definitivamente.

Fernando Samuel disse...

samuel: se ele expulsou os vendilhões...
Um abraço.

poesianopopular disse...

Dizes bem, expulsou os vendilhões mas,não derrubou o templo, assim novos vendilhões vão aparecendo!
Tens razão Ele tambem não podia fazer tudo!
Abraço

Maria disse...

Definitivamente DMF sabia escrever poesia sobre TUDO!
Não é com estes que Jeses se sentará à mesa, alguma vez.

Um beijo grande

Fernando Samuel disse...

poesianopopular: cabe-nos a nós fazer o (muito, quase tudo...) que falta...
Abraço.

Maria: Nem estes o quereriam lá...
Um beijo grande.

Ana Camarra disse...

Mais um exemplo da profundidade de David Mourão Ferreira, de facto Jesus não pode comparecer a tal festa.

beijos