AINDA O CONGRESSO

Olhando para as primeiras páginas dos jornais de hoje - de todos, sem excepção: os que se dizem e os que se não dizem«de referência» - verificamos que em nenhuma delas há a mínima referência ao Congresso do PCP que ontem terminou com uma intervenção do secretário-geral do Partido, Jerónimo de Sousa.
Dir-se-ia, até, que foi coisa combinada, que os directores de todos os jornais reuniram em vídeo-conferência e tomaram a decisão... Mas não foi: porque não é preciso, porque eles são assim, porque o anticomunismo está-lhes no sangue, porque no que toca ao PCP não precisam de combinar nada: está tudo prévia e eternamente combinado...

Assim, para quem, hoje, apenas tenha deitado uma olhadela aos títulos expostos nas bancas de jornais (recorde-se que deitar uma olhadela aos títulos é prática provavelmente da maioria dos «leitores de jornais» deste país...), o Congresso do PCP não existiu...
Pronto: está o objectivo alcançado.

O facto não surpreende ninguém:
nem os leitores que estiveram presentes no Congresso - que sabem bem do que a casa mediática gasta;
nem os leitores que têm como exclusiva fonte de informação os média dominantes - e que, formatados pelos critérios informativos dominantes, apenas esperam do jornal que compram... o que o jornal lhes quiser dizer...

Em nome da verdade, diga-se, no entanto, que o Congresso está presente nas páginas interiores desses jornais - e que, num caso ou noutro, nem é particularmente mal tratado.
Contudo, e a título de exemplo de como alguns jornalistas funcionam, registe-se o comentário feito no JN a propósito do discurso de encerramento do Congresso:
«Jerónimo de Sousa usou várias vezes a expressão "Sim, é possível», a fazer lembrar o "Yes, we can", de Obama»...
É bem possível que quem tal coisa escreveu não saiba, de facto, que «Sim, é possível, um PCP mais forte» é o lema da campanha de reforço do Partido lançada na sequência do XVII Congresso, em 2004.
E por que é que não sabe?
É simples: porque nenhum dos jornais que o autor do texto habitualmente lê, fez qualquer referência a qualquer das centenas e centenas de iniciativas realizadas pelo PCP sob esse lema...
E, como aqui tem sido dito muitas vezes, isto anda tudo ligado...

10 comentários:

samuel disse...

Excelente explicação!

do zambujal disse...

Porque não se faz uma campanha mostrando que Obama copiou o lema do PCP, pós-Congresso de 2004?
Porque não se faz uma campanha mostrando que a "mudança" do Sócrates em Guimarães copiou o "cambio" do comício de Zapatero, que copiou o "change" do comício do Obama?
Porque não se faz uma campanha com a abertura do Manifesto actualizado:
"Anda um espectro pelo Mundo - o espectro do Comunismo"?

Estou só a copiar o "I have a dream". Estou pouco original!

Grande abraço

poesianopopular disse...

Se eles acompanhassem, as iniciativas do PCP, saberiam que em 2004, em Almada o PCP iniciou essa campanha do "SIM é POSSIVEL",este jornalista merecia que lhe fosse retirada a carteira, porque isto é mentir decarada e deliberadamente!
Abraço

GR disse...

Uma vergonha, um Congresso de três dias, com MILHARES de pessoas e eles ocultam.
Não suporto ver os pasquins da direita. Deixei de ter respeito pelos precários (rastejando cheios de vaidade) que lá trabalham por uns míseros tostões, sem nunca reivindicarem os seus direitos (com a excepção de meia dúzia).
Não fosse os blog’s com fotos e comentários e nada se sabia.
Quinta-feira veremos com verdade, o grande Congresso no nosso Avante!

GR

Fernando Samuel disse...

samuel: estes rapazes são assim...
Um abraço.

do zambujal: essa última campanha seduz-me...
Um abraço.

poesianopopular: o piro é que se calhar ele nem sabe que está a mentir...
Um abraço.

gr: os média dominantes cumprem o seu papel de órgãos do grande capital; o Avante cumpre o seu papel de órgão do Partido da classe operária e de todos os trabalhadores.
Um beijo.

Ana Camarra disse...

Fernando Samuel

Original será apregoar Magalhães e depois retira-los, ou prometer 150000 postos de trabalho e converte-los em desemprego, ou dizer que nunca o dinheiro dos contribuintes seria usado na especulação do mercado de valores, ou dar o aval a um banco governado por um patrocinador de campanhas...Por acaso pensando nisto é mesmo original, fazer sempre o contrário do que se promete...

Será que também acusam o governo português de falta de originalidade nesta marmelada de privatizar o BPN?!

beijos

Fernando Samuel disse...

Não cumprir as promessas é, para estes defensores da originalidade, a maior originalidade...

Um beijo.

Maria disse...

E não podemos pegar no autocolante/cartaz dessa campanha de 2004 e colocá-lo nos blogues? Nós todos? Até que era giro...

Um beijo grande.

Fernando Samuel disse...

Maria: é uma boa ideia.

Um beijo grande.

Anónimo disse...

Andam a falar os jornais, 5feira, 6feira, sabado, domingo e segunda e nesse dia às 21h na sic noticias tava o Bernardino Soares, e na RTPN estava a Odete Santos. e na 5feira vai à RTP o Jerónimo. Puxa tambem ja chega e ainda queriam mais? toda a gente ja sabe qual é a politica do PCP, alias ja a conhecemos à mais de 30 anos.
é mesmo o imperialismo de esquerda a funcionar neste país.

J.Z.Mattos