O PROPAGANDISTA

Todas as terças-feiras, Mário Soares tem à sua disposição uma página do DN, que utiliza para fazer propaganda daquilo que há mais de trinta anos é o seu cavalo de batalha: a política de direita por ele iniciada em 1976 com o objectivo de liquidar a Revolução de Abril.
Fá-lo, contudo, mascarado de democrata de gema e de exemplar homem de esquerda, sabendo que essa é a melhor forma de levar a água ao seu moinho - que é, também, o moinho do capitalismo...

Ontem, Soares fez o elogio da Mensagem de Natal de José Sócrates. Um elogio caloroso, sublinhe-se.
Na opinião de Soares, na mensagem há «novidades» que «as oposições» não quiseram ver.
Isto porque, diz ele, «as oposições» estão mais mais preocupadas com o «bota abaixo».
Falando de «oposições», Soares sabe que está a meter no mesmo saco os que combatem o Governo e a sua política de direita, à qual contrapõem uma alternativa de esquerda; e os que criticam o Governo com o objectivo de para lá irem fazer a mesma política de direita - e sabe que essa é a melhor forma de defender, precisamente, a política de direita tão cara ao PS/PSD/CDS...

Mas quais são, então, as «novidades» detectadas por Soares na Mensagem de Sócrates?
Ele explica: «(Sócrates) disse que as suas primeiras prioridades são o desemprego, que prevê crescente, e a pobreza de que sofrem muitos portugueses. Quem o pode negar?».
Soares sabe que estas «prioridades» - recorrentes em todas as alocuções de Natal de todos os primeiros-ministros, desde 1976 - nada têm de «novidade». E sabe que, depois de cada uma dessas alocuções, o desemprego aumentou e a pobreza idem.
Quem o pode negar? - pergunto eu.

A terminar, escreve Soares: «Os portugueses que ouviram a mensagem sabem, por experiência própria, que não é com manifestações de rua - nem com protestos mais ou menos violentos - que esses flagelos podem ser remediados».
Ora aí está:
afinal é isto, essencialmente isto, que o preocupa;
afinal é isto, essencialmente isto, que ele quer evitar;
afinal é isto, essencialmente isto, que lhe mete medo.

O que confirma que a luta de massas é o caminho - e que intensificá-la e ampliá-la constitui o nosso objectivo fundamental no ano de 2009.

7 comentários:

salvoconduto disse...

Muitas mais para 2009, queira Soares e Cª. ou não.

Abraço e até para o ano.

julio disse...

nunca baixar os braços, lutar sempre...
já está preocupado com as lutas que se preparam.

samuel disse...

O descaramento do homem não tem limites.

Abraço

Fernando Samuel disse...

salvoconduto: eles querer, não querem, mas... nós queremos.
Abraço e Bom 2009.

julio: é esse o caminho: lutar sempre.
Abraço.

samuel: e parece que cada vez está mais refinado...
Abraço.

Maria disse...

O que eles todos querem sabemos nós. Por isso NÃO lhes fazemos a vontade...
E porque a LUTA vai continuar, é na rua que vamos mostrar, sempre, quantos somos e que estamos dispostos a ir até ao fim... até à vitória!

Um beijo grande para ti
Obrigada por me teres feito companhia com os teus textos em 2008.
Espero-te aqui em 2009... e BOM ANO

Fernando Samuel disse...

Maria: um beijo grande, minha amiga e... a Luta Continua...

Antuã disse...

o que o Soares quer já nós sabemos há muitos anos. um Ano Novo pleno de lutas eficazes e eficientes para ganharmos a liberdade dos trabalhadores.