A RIQUEZA E A POBREZA

A questão da pobreza e das desigualdades sociais em Portugal não vai ser resolvida a curto prazo. Quem o diz é o Presidente da República - e explica porquê: porque se trata de um problema que está muito ligado à qualificação dos recursos humanos.
E, como toda a gente sabe, essa coisa da «qualificação dos recursos humanos» é de resolução lenta, lenta, muito lenta, como o confirma o facto de andarmos a ouvir falar nela há muitos anos sem quaisquer resultados práticos.

Daí me parecer que talvez o problema fosse mais rapidamente solucionado se, por exemplo, se procedesse desde já a uma mais justa distribuição da riqueza.
Podia ser assim, por exemplo e para começar: a imensa maioria da riqueza produzida, em vez de ir, como hoje acontece, para a imensa minoria dos portugueses, passaria a ir para a imensa maioria dos portugueses.

Simples, não?

6 comentários:

Maria disse...

O actual PR foi um dos que contribuiu para as desigualdades sociais no nosso País. Pena só agora se dar conta que elas existem...
A tua sugestão é simples, e clara, mas sacou-me um sorriso...

Um beijo

poesianopopular disse...

Bastava apenas que os sucessivos DESgovernos, respeitassem, a intenção do voto que lhes é confiado, tão simples como isso!
Mas os sucessivos DESgovernos entre os quais esteve o do actual PR, que enferma dos mesmos males que outras figuras do nosso panorama político, só se lembram de fazer bem :-quando já não têm poderes para tal.

sousa disse...

esse teu jeito de fazer contas "tão simplistas sem meter os dados em falta (a+b)=c"
a) Max
b) Lenine
c) o tál de desfavorecidos= operários homens e mulheres deste País tão mal tratado pelo pessoal do sr.Silva

um abraço e BOM 5 DE JUNHO

Aristides disse...

Estão todos enganados. O ministro Santos Silva já veio dizer que isso das desigualdaes sociais é coisa que não exsite em Portugal.
Um abraço

samuel disse...

Como dizia um amigo, "é simples e ao mesmo tempo não é difícil..."
Infelizmente, as "complicações" é que enriquecem os do costume.

Abraço

Fernando Samuel disse...

maria: foi assim a seguir ao 25 de Abril, lembras-te?...
Um beijo amigo.

josé manangão: quando têm poderes fazem o mal, quando já não os têm armam-se em bonzinhos...
Abraço.

sousa: uma equação bem simples, não é?
Abraço e até dia 5.

aristides: esse é o tal que disse aquelas coisas sobre a quem é que os portugueses devem e não devem a democracia... Como é que querias que tal ceguinho visse as injustiças sociais?...
Abraço.

samuel: e como as «complicações» são muito grandes, eles enriquecem na proporção...
Abraço.