POEMA

TRÊS QUADRAS


Os que vivem na grandeza
dizem, vendo alguém subir:
- Há que manter a pobreza,
p´rá grandeza não cair.

A ninguém faltava o pão,
se este dever se cumprisse:
ganharmos em relação
com o que se produzisse.

Quem trabalha e mata a fome,
não come o pão de ninguém,
mas quem não trabalha e come,
come sempre o pão de alguém.

António Aleixo

8 comentários:

poesianopopular disse...

Este é o meu poeta popular, das palavras simplles que se houvem a toda a hora na boca de muita gente, esta é a verdade sem temperos, com o seu paladar único.
Parabens pela escolha
Abraço

scaramouche disse...

:)

gostei.

scaramouche.

samuel disse...

O meu companheiro de sempre dos "cantos livres" e os cantos de agora e de amanhã...
Muito gostava de o ter conhecido!

GR disse...

Grande filosofo da cultura popular!
Três quadras cheias de verdade e sabedoria.

GR

Justine disse...

A sabedoria primordial deste homem!
Essencial
Bom fim de semana

Fernando Samuel disse...

josé manangão: abraço amigo.

scaramouche: obrigado pela visita e pelo comentário.
Um abraço.

samuel: dos vossos/nossos cantos livres...
Abraço.

gr: já tinha saudades tuas...
Beijo amigo.

justine: Bom fim de semana e um beijo amigo.

Anónimo disse...

O pão que sobra à riqueza
dsitribuido pela razão
matava a fome à pobreza
e ainda sobrava pão

Fernando Samuel disse...

anónimo: e tantas, tantas outras...
Abraço.