POEMA

CARTAS NA MESA


Vou pondo cartas
dos meus amigos
sobre esta mesa
de conivência

E, a sós, descubro
que viver só
não é poesia
nem é ciência...

Raul de Carvalho

7 comentários:

poesianopopular disse...

Esta poesia do Raul de Carvalho recorda-me, aquela quadra,

Canta canta amigo canta
Vem cantar a nossa canção
tu sózinho não é nada
juntos temos o Mundo na mão
Abraço
Manangão

GR disse...

A solidão.
Grande problema social,
Uma doença séria que vai contagiando as sociedades.
Um vírus originado pelos regimes capitalistas!

Lindo poema.

GR

samuel disse...

É travessia
de silêncios
de impaciência
a presença
esmagadora
da ausência

XICA disse...

Mais uma vez de grande qualidade, o poema e os respectivos comentários. Bonito serviço, lá fico eu mais uma vez muito inibida junto destes cérebros, mas vou roubar-vos o poema prá minha alcôfa.

Justine disse...

Um lamento gemido, mas muito lúcido, este belo poema.

Antuã disse...

Contra a solidão é urgente marchar. Nem podemos aceitar os armazéns de idosos que por aí h´, caros e com assistência miserável.

Fernando Samuel disse...

josé manangão; gr; samuel; xica; justine; antuã: este poema integra o livro «Elsinore» que o Poeta escreveu em Londres - sozinho, longe dos amigos, de Portugal...
Abraços e beijos.