1º DE MAIO (3)

O PRIMEIRO 1º DE MAIO


O 25 de Abril de 1974 teve, uma semana depois, a sua confirmação maior nas gigantescas manifestações unitárias do 1º de Maio - expressão da imensa força autónoma e independente do movimento operário e popular.
As impressionantes manifestações do 1º de Maio afirmaram o movimento operário e popular como uma poderosa realidade da vida nacional à qual estava reservado um papel determinante no curso da revolução portuguesa. Esse papel é inseparável da orientação do PCP no sentido do reforço da unidade da classe operária e de todos os trabalhadores e da constituição de uma ampla frente social e política empenhada na defesa da democracia e das conquistas de Abril e da acção abnegada dos militantes comunistas nas mais diversas estruturas e frentes de luta do movimento popular.
A Revolução Portuguesa iria desenvolver-se através da acção conjugada das massas populares e do Movimento das Forças Armadas.
Álvaro Cunhal, na sua intervenção no Estádio 1º de Maio: «Neste dia deram-se passos gigantescos no sentido da democratização da vida nacional. Mas o perigo da reacção fascista, o perigo da contra-revolução existe.»

5 comentários:

GR disse...

Foi lindo, o 1º - 1º de Maio!
No Porto o Estádio das Antas foi pequeno, para tanta gente, tantos cravos tantos sonhos.

VIVA O 1º de MAIO

GR

poesianopopular disse...

-Existe e preciste, n�o pensem que;por terem passado 34 anos, que o perigo tambem passou, o que ainda sobra da Revolu�oter� de ser sempre bem guardado, por n�s, no dia em que deixar-mos de guardar, no dia seguinte estaremos a lamentar, � prefer�vel que sejam eles a lamentar-se!
Manang�o

Antuã disse...

Terão que ser os operários aliados aos outros trabalhadores,intelectuais ou outros, a conduzir o processo revolucionário.

Fernando Samuel disse...

gr: era Maio a afirmar Abril!
Beijo amigo.

josé manangão: eles andam por aí...
Abraço amigo.

antuã: é isso e há-de ser assim.
Abraço amigo.

Maria disse...

Ele, o Álvaro, sabia tão bem o que dizia...
Mas sairemos às ruas as vezes que forem necessárias para defendermos as conquistas de Abril!

Beijo