Abril e Maio em Aljustrel




Dias incontáveis nas palavras que aqui vão. humedecidos os momentos, as palavras são opacas para descrever os corações agitados pelos sonhos. Talvez sintam camaradas um pouco do que senti olhando para as fotografias que vos deixo, memória do meu Primeiro de Maio junto com os camaradas do Bairro Mineiro - e VERMELHO! - de Vale de Oca. Cantei com os meus amigos hinos da Reforma Agrária. Ironizei e escarneci o nome da PIDE (na alegria de mais um Primeiro de Maio em Liberdade). Chamei nomes próprios que rimam com sal e azar. Fui à pesca. Apanhei um escaldão, precaução para alguma renitência no vermelho. Em sonho, acompanhei os camaradas em marcha nas avenidas de Lisboa. Ergui-me do chão com o ADANGIO e com o MADEIRA provocando a fúria hiante dos fascistas. Fundi as balas em canções. E chorei baixinho de comoção quando, novos e velhos pularam para um jipe, ergueram punhos e cantaram:
VENCEREMOS, VENCEREMOS
COM AS ARMAS QUE TEMOS NA MÃO
VENCEREMOS VENCEREMOS
A BATALHA DA TERRA E DO PÃO.

Mineiros de Aljustrel: devo-vos grande parte da minha felicidade. Com a vossa força se cumpre o meu sonho. VIVA O 25 DE ABRIL. VIVA O PRIMEIRO DE MAIO.

5 comentários:

samuel disse...

Outros tempo, grandes jornadas e memórias!
Pena, neste último dia 30 de Abril, exactamente em Aljustrel, a homenagem ao Adriano Correia de Oliveira, que deu a voz a tantas dessas jornadas, ter acabado por ser tão "confidencial"...
De qualquer maneira, para os 20 ou 30 amigos e amigas que compareceram, acho que foi uma noite agradável.
Para mim, sei que foi!

Antonio Lains Galamba disse...

Samuel: foi pena realmente. mas a data também não era fácil. não foi o que me impediu a mim de ir - que de outras contas se fez o meu rosário - mas a ovibeja, a decorrer - retira muito publico a outras iniciativas. não ajudou também o facto de ser quarta à noite, véspera - ainda por cima - do primeiro de Maio. Todos preparam nessa noite a merenda e os artefactos para o grande almoço no campo do dia seguinte. de qualquer forma valeu, com certeza, a pena para esses trinta. grande abraço.

poesianopopular disse...

E viva o PArtido Comunista Português, sem ele não sentiríamos estas emoções, sem estas lutas nunca seríam possíveis!
Por ele, e com ele, a liberdade a amizade e a solidariedade...-è um facto.
Obrigado camarada ppela divulg~ção da tua experiência.
Abraço
Manangão

GR disse...

António,

O teu Abril e Maio foi diferente do meu!
Aqui festejamos com alegria, mas uma mistura de raiva, dor e nostalgia.
Tu viveste estes dias com poesia.

Que bom poder ler-te!

Viva o 1º de Maio e a Luta dos Trabalhadores!
Viva a Juventude!
Viva Abril, Sempre!

GR

Anónimo disse...

Somos muitos muitos mil
para continuar Abril!
Viva Abril!