POEMA

NÃO POSSO ADIAR O AMOR


Não posso adiar o amor para outro século
não posso
ainda que o grito sufoque na garganta
ainda que o ódio estale e crepite e arda
sob montanhas cinzentas
e montanhas cinzentas

Não posso adiar este abraço
que é uma arma de dois gumes
amor e ódio

Não posso adiar
ainda que a noite pese séculos sobre as costas
e a aurora intensa demore
não posso adiar para outro século a minha vida
nem o meu amor
nem o meu grito de libertação

Não posso adiar o coração

António Ramos Rosa

6 comentários:

samuel disse...

O "outro século" já chegou e quase tudo foi continuando adiado. É preciso estugar o passo...

Abraço

Maria disse...

Nunca se pode adiar o amor...

poesianopopular disse...

"Atraz do tempo, tempo vem" adiar é tempo morto!

Fernando Samuel disse...

samuel: realmente... mas, sabes, o tempo dos poetas é sempre um tempo muito especial...

maria: adiar o amor é adiar tudo o que é humano...

josé manangão: o tempo adiado é tempo.. que fica à espera...

GR disse...

Lindo poema.
Duas coisa há que não podem, nem devem ser adiadas, o Amor e a Luta!

GR

Fernando Samuel disse...

gr: ou seja: o coração...