POEMA

A ÚLTIMA MOEDA


Gasta a última moeda, companheiro,
e avança contra o vento contrário,
homem despedaçado mas inteiro,
nem tu, nem ninguém escreve o teu diário,

- mas se o entusiasmo fosse dinheiro
serias milionário.


Sidónio Muralha

(«Os Olhos das Crianças» - 1963)

6 comentários:

Membro do Povo disse...

Pode parecer uma atitude fugaz, mas o entusiasmo de um só pode fazer tremer uns quantos milionários!

samuel disse...

Eu próprio... teria mais uns euros por aí no porta-moedas... :-)))

Abraço.

GR disse...

Esta poesia alimenta e fortalece, esta nossa vontade de lutar.

Bjs,

GR

smvasconcelos disse...

Um dos méritos do Sidónio Muralha é a sua extraordinária capacidade de sumarizar as grandes ideias e convicções com uma construção simples e precisa de palavras belas... e assim contagiar-nos com o seu (nosso) entusiasmo. Um dos poetas que mais gosto, mesmo!
beijo,

Graciete Rietsch disse...

O espírito de luta não esmorece.
Seguindo o exemplo dos que lutam e sempre lutaram, dos que morrem lutando, dos que usam os seus escritos e poemas como arma de luta e pelos que sofrem, só poderemos orientar todo o nosso percurso usando a frase de Dolores Ibarruri "Não passarão".
Um beijo,camarada.

Maria disse...

Grande poema de força!

Um beijo grande.