SOCIALITES, SOCIALISTES...

Aquela antidemocrática e estúpida manifestação de prepotência do presidente da Câmara de Évora, José Ernesto Oliveira, fez-me lembrar uma notícia há tempos publicada numa dessas revistas de socialites.
A notícia mostrava-nos um Oliveira bem diferente do tiranete que, há dias, impediu os eleitos e candidatos da CDU de entrar nas instalações da Câmara - o que torna legítimo pensar que estamos perante uma pessoa de várias caras...

A tal notícia começava assim: «Num modelo Lanvin de seda natural verde, Lili Caneças, de 60 anos, foi a estrela de mais uma edição do Évora Moda» - e uma enorme fotografia mostrava-nos «a mais famosa das socialites portuguesas» de braço dado com o presidente da Câmara de Évora, ambos sorridentíssimos: ela, a aborratar de plásticas, feliz por ter sido tão bem recebida; ele, também muito socialite, feliz por ter recebido tão bem.
«Foram duas noites muito divertidas», confidenciou Lili Caneças.
E no mais puro dialecto socialite explicou o divertimento: «Já vim a este evento três vezes e sempre a convite do dr. José Ernesto d'Oliveira, o presidente da Câmara de Évora, que é um querido. Fui recebida como a Cleópatra, rainha do Egipto, com direito a carro com motorista e tudo. Deu-me a melhor suite do hotel Cartuxa, com mais de 200 metros quadrados e banheira com jacuzzi».

Domingo, o querido da Lili vai a votos.
E se houvesse uma «justiça eleitoral», no sentido de cada candidato obter os votos que merece - nem mais um nem menos um - José Ernesto Oliveira teria direito a dois votos: o seu e o da socialite Caneças.

Também muito socialite - mas mais na versão socialiste... - é Elisa Ferreira, desde há dias conhecida por Elisa da Gamela.
Mostrando até onde o desejo da gamela pode fazer chafurdar uma pessoa, a candidata do PS à Câmara do Porto, disparou deste jeito: «Rui Rio tem o apoio de 6 milhões de benfiquistas» - assim procurando atiçar ânimos clubistas, regionalistas, provincianos, e transformá-los em votos a seu favor.
É uma querida, esta Elisa.
Neste caso, a tal «justiça eleitoral» deveria dar-lhe direito a dois votos, no domingo: o dela e o do sr. Pinto da Costa.

7 comentários:

Graciete Rietsch Monteiro Fernandes disse...

São tão queridos estes candidatos e respectivos amigos!!!
Abraços.

samuel disse...

Não conhecia a dona elisa de lado nenhum... foi uma pena ficar a conhecer. É uma escroque!

Abraço.

Maria disse...

Este post é delicioso. Dos mais 'fininhos' que já escreveste...

Deixo-te dois beijos, hoje. Pelo que me fizeste sorrir...

Antuã disse...

pois, pois, morrer é o contrário de estar vivo.

do zambujal disse...

Muito "queridos", como diz a Lili de Caneças, são estes gajos e gajas.
Grande pedrada, meu amigo. A isto chama-se "ajuda à reflexão". Sobre os procedimentos de quem emporcalha a política, a descredibiliza. Para ganhar uns votitos e afastar tanta gente da única participação política que tinha, a de escolher os seus representantes. Por náusea e preconceito em relação à verdadeira alternativa.
Mas passo a passo, eleição a eleição, vamos consolidando um eleitorado, forma de reforçar uma consciência que é o essencial para a luta que vai muito para além destas batalhas.

Um grande abraço.

pintassilgo disse...

A suína Elisa lá vai comendo da gamela.

Fernando Samuel disse...

Graciete Rietsch Monteiro Fernandes: de facto, são todos «uns queridos»...
(continuo sem conseguir acesso à tua caixa de comentários)
Um beijo amigo.

samuel: a gente está sempre a conhecer coisas más...
Um abraço.

Maria: então aqui vão, também, dois beijos - grandes, como sempre...

Antuã: mais ou menos...
Um abraço.

do zambujal: e esse é o caminho para atingirmos os nossos objectivos - amanhã, a luta continua, mais forte.
Um abraço grande.

pintassilgo: essa da gamela é dela...
Um abraço.