A FRASE DO DIA

Lendo a longa entrevista de José Rodrigues dos Santos (JRS) à Visão, deparei com um elevadíssimo número de afirmações dignas, todas elas, de serem eleitas «frase do dia».
O tema da entrevista foi o novo livro de JRS - «Fúria Divina» - que será apresentado ao público no próximo sábado.

Diz quem já leu, que o romance gira em torno da velha «ambição islâmica de recuperar o AL-Andaluz (sul de Portugal e Espanha), que já foi árabe há muitos séculos» - «ambição» que leva os «islâmicos» a construir uma bomba atómica, não percebi bem para quê, mas que pelos vistos é coisa fácil de construir, como o próprio JRS ensina na referida entrevista.

As preocupações de rigor do romancista levaram-no a contratar um especialista na matéria romanceada - um «consultor» - de seu nome Abdullah Yusuf.
Este «consultor» de JRS é pessoa brutamente credenciada e com currículo invejável, como o atesta o facto de ser ex-membro da Al Qaeda, e de, ao serviço dessa organização, ter planeado, mesmo, um atentado terrorista - não se percebendo por que razão o referido «consultor» não só não está em Guantánamo... como estará em Lisboa, no próximo sábado, onde será o «apresentador do romance» de JRS...

Mas voltemos à «frase do dia».
Depois de aturados esforços, optei por esta - que aqui vos deixo, sem comentários:

«O romance não exprime a minha opinião sobre nada. O que temos são personagens a interpretarem opiniões».

9 comentários:

poesianopopular disse...

...as teias que eles tecem!
Quem não os conhecer -que os compre!
Porque será que eles se entreteêm com estes devaneios?
Ou será que - alguém lhes paga para devanearem?
Abraço, camarada!

samuel disse...

Já está visto... um dos melhores episódios da série humorística "Seinfeld" era exactamente sobre a proposta a um canal de televisão, de um "show about nothing"...
Hilariante (o Seinfeld, claro).

Abraço

Antuã disse...

Quem lhe disse que ele sabe escrever?

Membro do Povo disse...

Essa coisa do consultor cheira-me a tanga. De resto, o tema romance não me aquece nem arrefece.

Graciete Rietsch Monteiro Fernandes disse...

EStou cansada das alarvices dos nossos políticos governantes dos jornalistas afins do Povo que não acorda e nem me apetece comentar. Vou para a hidroterapia para tentar melhorar os meus ossos e a minha mente. Desculpa camarada este desabafo. Um grande abraço.

Fernando Samuel disse...

poesianopopular: estes «devaneios» rendem muito...
Um abraço.

samuel: dizer aquilo mostra bem o estado a qu'isto chegou...
Um abraço.

Antuã: creio que, até agora, ninguém lhe disse tal...
Um abraço.

Membro do Povo: um consultor ex-terrorista...
Um abraço.

Graciete Rietsch Monteiro Fernandes: às vezes o desabafo é... salvador...
Um beijo amigo.

Ana Camarra disse...

Fantástico!
Como se podem escrever livros sem expressar a nossa opinião sobre nada?
Eu nem consigo escrever um relatório de Actividades sem colocar um bocadinho de mim naquilo.

è por isso que não escrevo best sellers....

Fernando Samuel disse...

Ana Camarra: fantástico, não é? - e falso, também...
Um beijo.

pedras contra canhões disse...

O que eu gostava mesmo de saber é como é há escritores - desses a sério - que se prestam a entrar num programa chamado "conversas de escritores" com essa besta da literatura que é JRS. Antes que me acusem de não ter lido a dita prosa, desde já afirmo que de tal ausência me orgulho depois de ter tido a oportunidade extraordinária de ouvir e ver com estes que a terra há-de comer uma "palestra" desse senhor, que envergonhou Portugal inteiro diante de uma assistência internacional.
Deixo-vos a frase desse imbecil que mais me marcou (numa conferÊncia internacional de especialistas sobre clima a que tinha sido convidado para moderar um painel, o homem atira esta: "a terra é como uma garrafa de coca-cola, quando se agita, as bolinhas fazem pressão e depois o petróleo jorra". como o fernando samuel, sem comentários.