O NEGATIVO E O POSITIVO

Com as autárquicas de ontem chegámos ao fim deste ciclo de três eleições que, realizadas no espaço de quatro meses, nos exigiram um ano (pelo menos) de intenso trabalho.
Acrescente-se a isto, o facto de estas batalhas eleitorais comportarem exigências particulares para os activistas da CDU - exigências que não se colocam aos activistas de qualquer das outras forças políticas e que decorrem essencialmente do facto de as forças que integram a CDU, e em especial o PCP, serem vistas como o alvo a abater pelo grande capital, pelos partidos que o representam e pelos média de que ele é dono.
Acresce, ainda, que paralelamente a esta exigente intervenção eleitoral, os militantes comunistas deram a resposta que se impunha à política de direita, organizando e participando nas muitas lutas dos trabalhadores e das populações - e, nos intervalos disto tudo, ainda construíram a Festa do Avante!...


Para quem tanto luta pela defesa dos interesses dos trabalhadores e do povo, é óbvio que os resultados que obtivemos nestas três eleições ficam muito, muito aquém do que seria justo - se é que a noção de justiça tem cabimento em eleições realizadas em democracia burguesa...
Para quem nos fustiga todos os dias e tem como objectivo principal liquidar-nos social, política e eleitoralmente, é óbvio que esses resultados foram muito, muito além... do que eles queriam, esperavam e se fartaram, até, de anunciar...

Negativo, nas autárquicas de ontem foi, essencialmente, a perda pela CDU de 6 câmaras .
Positivo, foi termos ganho três câmaras - entre muitas outras coisas positivas como, por exemplo, os resultados que, num quadro dificílimo, obtivemos em Lisboa e no Porto.

Em relação às câmaras perdidas: regra geral, perdemo-las sem que tivéssemos perdido votos, tendo até aumentado as votações. E esse é um dado sobre o qual importa reflectir.
Em Beja, por exemplo, a CDU aumentou cerca de quatro centenas de votos, e perdeu a câmara para o PS que viu aumentada a sua votação em cerca de 2 mil votos - tantos quantos o PSD «perdeu»...
Ou seja: tantos quantos se transferiram do PSD para o PS por efeito de uma espécie de entendimento tácito entre os partidos da política de direita visando derrotar a força que, de facto, combate a política de direita.
Isto faz com que a CDU, para ganhar, tenha que obter sempre mais de 50% dos votos - sendo este um grande desafio que se nos coloca no futuro.

Positivo, foi, também, o facto de a CDU se ter confirmado inequivocamente como a grande força autárquica da Esquerda - reforçando, assim, a sua condição de grande força nacional.

Quanto ao futuro... A LUTA CONTINUA!

11 comentários:

linhadovouga disse...

A luta continua, sempre!

Camarada, não foram sete as câmaras (Beja, Aljustrel, Sines, Viana do Alentejo, Marinha Grande, Monforte e Vila Viçosa)? Fiquei com a ideia que o saldo era de 28.

Penso que também tivemos mais eleitos em assembleias de freguesia e (isso não tenho a certeza) mais presidências de junta.

E ainda algumas cerejas que nos fazem sorrir: no distrito de Viseu ganhámos duas juntas (Armamar e Real) e no da Guarda continuamos com três, uma nova (Alfaiates) e duas que se mantêm (Moita e Almeida). E mantemos outars juntas em distritos do centro norte, nomeadamente oito em Coimbra e uma em Viana do Castelo, para além das 3 do Porto e 5 em Braga. É bom ver esses heróicos focos de resistência e essas oportunidades para, em regiões onde o caciquismo faz lei, o poder local se mostrar no seu melhor como só a CDU sabe fazer.

Abraço

samuel disse...

Pois trabalhe-se para os mais de 50%... e onde não fôr possível, trabalhe-se "apenas" para o que sempre trabalhamos: o melhor para as populações e o país.

Abraço.

poesianopopular disse...

É tudo assim como muito bem dizes, e ainda o jogo sujo, como o que se passou aquí em Palmela.
Chegaram ao ponto de fazer circular um boato, dizendo que a candidata da CDU estava muito doente, e que possivelmente não iria cumprir o mandato até ao seu termo.
Palmela está a ser uma Cãmara muito cubiçada, os nossos adversários não olham a meios, a luta é muito desigual, mas cada membro da CDU vale por cinquenta dos deles, felizmente que os Palmelenses perceberam a nossa mensagem e a competência dos nossos candidatos, a CDU conquistou a maioria absoluta, a comunicação pouco social, não deu por isso,os malabaristas que a integram estavam noutros equilíbrios.
A luta continua, só assim o sonho se torna realidade.
Abraço

Antuã disse...

E a luta cntinua apesar dos lacaios do capitalismo mesmo que camuflados de defensores dos trabalhadores.

Maria disse...

Agora é respirar fundo e... prepararmo-nos para a próxima.
Amanhã vou festejar os 3 membros de JF e Ass. Mun. que elegemos pela primeira vez em Óbidos!

Um beijo grande

Hilário disse...

Independentemente das perdas, continuamos a ser uma grande força neste país.

A luta continua!
Um Abraço

alex campos disse...

Como disse o camarada Jerónimo, "Nem as derrotas nos desanimam nem as vitórias nos descansam". A luta continua e cá estamos.

Um abraço

zé do boné disse...

-Mas claro que as derrotas nos entristecem - somos seres humanos, temos sentimentos e fraquezas.
-Só que reside em nós uma vontade maior.
-Sabemos que só com a luta isto vai.
-Como ele nos ensinou, a nossa maior alegria e acordar todos os dias para a Luta.
A razão mesmo vencida não deixa de ser razão.
A LUTA CONTINUA
VIVA a CDU
VIVA O PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS.

Membro do Povo disse...

Foi de facto mau ter-mos perdido a Marinha Grande ter-mos ficado muito aquém das expectativas em Alcobaça, mas tivemos um grande reforço na Nazaré - onde por pouco não duplicá-mos a representação na assembleia municipal, e uma maioria absoluta em Peniche, para não falar do grande reforço em Óbidos!
Num panorama geral subimos em todo o país, por isso antevejo o aumento do numero de autarquias CDU daqui a 4 anos.

Fernando Samuel disse...

Linhadovouga: tens razão em relação ao número de câmaras que perdemos: só que eu já não considerava nossa a câmara de Sines... essas cerejas aí no centro e no norte são promissoras. Havemos de levar a todo o País o trabalho, a honestidade e a competência da CDU.
Um abraço, camarada.

samuel: simples, como demonstraste...
Um abraço.

poesianopopular: essa cambada não tem vergonha nenhuma.
Um abraço.

Antuã: e continuará até à vitória final.
Um abraço.

Maria: e é de comemorar.
Um beijo grande.

Hilário: somos a grande força autárquica de esquerda.
Um abraço.

alex campos: cá estamos e estaremos.
Um abraço.

zé do boné: é isso, camarada: lutar, lutar sempre.
Um abraço.

Membro do Povo: é sempre mau perder, e mais ainda ss se trata de concelhos históricos, como a Marinha e Aljustrel, por exemplo.
Um abraço.

rapariga do tejo disse...

É verdade Aljustrel doeu muito..
principalmente porque temos muitos fortes camaradas que lutam todos os dias, amigos que conheço e levam a luta no seu dia a dia...

Alice, Bruna, Dona Odete...
por aqueles que lutam todos os dias e que vencem e vencem....
continuamos todos os dias.....

viva o PCP!!