POEMA

ODE À REVOLUÇÃO


A ti,
assobiada-
escarnecida por balas de metralhadoras,
a ti,
que as baionetas ferem,
que as maldições envolvem,
grito enebriado
o início da ode
solene.
Oh! Bestial!
Oh! Ingénua!
Oh! Mesquinha!
Oh! Sublime!
Que outro nome te foi dado?
Em que te tornarás, ser de duplo rosto?
Um arquitectura harmoniosa
ou um amontoado de ruínas?
Exaltas o maquinista
coberto pela poeira do carvão,
o mineiro que perfura as entranhas da terra...
Exaltas,
veneras
o trabalho humano.
E amanhã...

Em vão
erguem as igrejas as flechas suplicantes,
os teus canhões de pescoço taurino
fazem saltar os milenários kremlins.
Glória!
Agonia das feridas mortais.
Uivo estridente das sereias.
Envias marinheiros
salvar num cruzador que vai a pique
um gatinho
esquecido.
E depois,
a multidão enfurecida
empurra à coronhada velhos almirantes,
lança-os de cabeça
do alto da ponte de Helsínquia.
O gosto áspero das feridas do passado,
vejo novamente as veias abertas.
Os burgueses amaldiçoam-te:
«Oh! sê três vezes maldita!»
mas o poeta,
eu,
dou-te a minha bênção:
Oh! Quatro vezes bendita, sê gloriosa!


Maiakovsky
(Tradução de Egito Gonçalves)

8 comentários:

poesianopopular disse...

A Rvolução é a semente
que ao traansformar-se se nega
Para ser consequente
Tem de manter essa regra.
(tese antitese sintese)
Parabens pelo teu texto!
Abraço

Maria disse...

Que presente bom tive logo de manhã com este poema de Maiakovsky..
Obrigada, Fernando Samuel.

Um beijo grande

Justine disse...

Comoveu-me a imagem de salvar um gatinho esquecido de um cruzador que vai a pique...:))
O poeta que me perdoe, no meio de tanta coisa séria!

samuel disse...

Há alguns poetas assim... que andam ao arrepio dos burgueses.

Ausenda disse...

A visão poética e romantica de uma revolução, é das coisas mais belas que podem existir.
Lindo o poema!
Um beijo, amigo

maria teresa disse...

CORRENTE

"O que caminha
turba-se.

A água corrente
não vê estrelas.

O que caminha
esquece-se.

E o que se detém
sonha."
Federico García Lorca

GR disse...

Como tu dizes Fernando Samuel,
A poesia está em todo o lado, até nas Revoluções.
O poeta Maiakovsky que tu me ensinaste a ler, é também poesia.

Um bj,

GR

Fernando Samuel disse...

poesianopopular: e parabéns pela tua quadra...
Um abraço.

maria: o poeta da Revolução de Outubro como o nosso Zé Carlos foi o poeta da Revolução de Abril.
Um beijo.

justine: por que terá sido que quando estava a escrever esses versos me lembrei de ti?...
Um beijo.

samuel: a poesia olha para a frente...
Um abraço.

ausenda: «A poesia é uma arma carregada de futuro»...
Um beijo.

maria teresa: claro: o que se detém sonha...
Um beijo.

gr:... poesia de qualidade superior...
Um beijo.