COISAS DA MEMÓRIA?

A propósito dos «Discursos e Notas Políticas» de Salazar, escreveu Baptista Bastos no DN de hoje:

«Está lá tudo, sem omissões, o que ele pretende fazer no País. O silêncio da Esquerda correspondeu à vacuidade do seu pensamento. Apenas o grande Raul Proença, o maior intelectual da Seara Nova, respondeu, indirectamente, ao conteúdo do texto».

Postas as coisas assim, impõem-se algumas considerações.
Se Baptista Bastos fala apenas dos que responderam «indirectamente ao conteúdo do texto» do ditador fascista, é possível que a referência solitária a Raul Proença seja correcta.
Digo: é possível - e não digo mais, por não ter à mão elementos que me permitam, com rigor, dizer outra coisa. E, sem rigor, podem escrever-se textos exemplares na sua construção mas que correm o risco grave de apenas expressar, na melhor das hipóteses, a vacuidade de pensamento de quem os escreve.

Francamente, não alcanço o critério que levou Baptista Bastos a elogiar um que - sem dúvida meritoriamente - respondeu indirectamente aos discursos do ditador; e a ignorar muitos que a esses discursos responderam directamente - em textos escritos e na luta concreta.

Desses muitos, cito Álvaro Cunhal e, deste, as intervenções feitas nos III, IV e VI Congressos do PCP, realizados na clandestinidade - intervenções que caracterizam rigorosamente a natureza da ditadura fascista e estilhaçam e fazem em pó os discursos do ditador. Directamente.

É possível que a memória de Baptista Bastos o tenha traído. Que a sua mudança de família política e ideológica tenha transformado em imensas brancas o que, antes, era conhecimento dos factos.
Ou que, sei lá, o Prévost estivesse a pensar nele quando disse que «a memória é como uma mala; metemos sempre lá dentro coisas que não servem para nada».

14 comentários:

samuel disse...

Na minha profissão também temos disso... uns, vaidosos, à custa de tantos floreados arruinam músicas decentes, outros tentam servir-se exageradamente dos mesmos floreados para disfarçar a má qualidade da melodia.
Felizmente, o "fogo de vista" nem sempre resulta. Há por vezes uns "chatos" (como tu), que no meio das luzes e do barulho do foguetório, teimam em olhar para baixo e ver o que se está a passar na realidade.

Abraço

SENSEI disse...

Pois é, as memórias por vezes incomodam, então também por vezes, há que as esconder num se bem me lembro qualquer, ou num "não me veio à memória".
Gosto de Batista Bastos e desconhecia que ele velejava por outras ideologias, se assim é, fico triste de facto. Repete-se o mesmo que aconteceu com Saramago, acredito que a idade afecte, mas assim tanto?!
Álvaro Cunhal era bem idoso e nunca perdeu o norte, sempre coerente.
Fidel está velho, sim, muito velho, contudo e com algumas falhas que vêem com a idade, o seu sentido de liberdade e a sua posição face aos Bilderberg’s deste mundo é a mesma que sempre teve desde que abraçou a revolução contra o imperialismo opressor dos EUA e seus congéneres.


Ouss

poesianopopular disse...

Fico triste, porque em determinada idade, bastava só a presença para já ser luta...e há pessoas que, nem isso!
Será que? Não ,não vou por aí!
Prefiro assinar, o teu post!

alex campos disse...

Também assino. Mas queria lembrar uma coisa importante: a história ensina-nos que os renegados são os piores. Pelos vistos estamos perante um exemplo.

GR disse...

Na mala, o BB meteu tanta coisa, por isso teve que tirar a coerência e a integridade política.
«O BB está completamente esvaziado de conteúdo!»

GR

zambujal disse...

Talvez assim alguns entendam porque é que, nos seus mails, encontram, de vez em quando, a reprodução de uns textos do BB, como se ele tivesse descoberto a forma de compensar a vacuidade do pensamento da esquerda, e de forma indirecta atacar o que outros sempre atacaram directamente e, durante décadas, na clandestinidade.
Obrigado por mais este post de desmascaração.

Fernando Samuel disse...

samuel: esta coisa toca a todas as profissões, de facto...
(eem certos casos doi ser «chato»...)
Um abraço.

sensei: pelo que temos visto, este é mal que não escolhe idades.Mas é sempre triste ver estas mutações seja qual for a idade dos mutantes...
Um abraço.

josé manangão: bastava só a presença, dizes tu, e é bem verdade...
Um abraço.

alex campos: em todo o caso, não direi que este é exactamente um exemplo disso...
Um abraço.

gr: porque as malas não são tão grandes como isso...
Um beijo amigo de boas vindas!

Fernando Samuel disse...

zambujal: o teu comentário chegou quando eu escrevia os meus e só agora o vi.
Quanto ao resto: acho que nunca podemos prescindir do espírito crítico quando lemos um texto, seja quem for o seu autor...
Abraço grande.

Antuã disse...

o BB há muito que se mudou. Todavia, ultimamente até parece uma madalena arrependida só que esta não tinha nada de que se arrepender.

Fernando Samuel disse...

antuã: a pobre madalena teve que se arrepender de... nada...
Um abraço.

Maria disse...

Há pessoas que insistem em terem memória curta, ou falta dela...
Não sendo este o caso, só poderá ser... o que tu dizes...

Um beijo

Anónimo disse...

-Deve ser da idade... coitado!
a.ferreira

Fernando Samuel disse...

maria: pois...

Um beijo.

anónimo: ou da velhice...

Um abraço.

Corine disse...

Qual Prévost?