POEMA

ROMPER DO DIA

Não é em vão
que o romper de cada novo dia
se inaugura pelo cantar do galo,
denunciando já de antigos tempos,
uma traição.

Brecht

7 comentários:

Sal disse...

Eterno Brecht.
E sempre tão "na mouche"...

bjs

samuel disse...

Que alguém tem vindo a trair, sempre... desde muito antes de Pedro, isso muitos milhões o vão sentindo na pele ao longo da História. Mesmo que o galo não cante.

Abraço

Fernando Samuel disse...

sal: ora viva!, ora viva!, bem vinda sejas...
Um beijo grande.

samuel: caso contrário não havia galos que chegassem...
Um abraço amigo.

Justine disse...

Que amargo, o teu Brecht de hoje!

Antuã disse...

Há sempre um galo que avisa.

Maria disse...

Este Brecht....

Fernando Samuel disse...

justine: há dias assim...

antuã: e antes do terceiro canto...

maria: este Brecht... é assim...