POEMA

A LIÇÃO


Francisco Miguel estava na prisão.
Todos os dias guardava do seu pão
para dar aos pombos
que vinham até ali
das velhas casas.

Ele sabia
que o dever
de todo o homem
é defender as asas.

Mário Castrim

10 comentários:

Aristides disse...

Que saudades do Mário. Da sua sensibilidade e ternura à flor da pele, mas também da sua dureza e intransigência crítica.
Abraço camarada

poesianopopular disse...

O Mau feitio do Mário Castrim, era fruto do avanço que ele tinha, ele já vivia noutro estádio, civilizacional.

Fernando Samuel disse...

aristides: ... da sua indispensabilidade...
Abraço.

josé manangão: o estádio do ideal comunista...
Abraço.

maria teresa disse...

DE OMBRO NA OMBREIRA

De ombro na ombreira vejo
no outro lado outro
ombro na ombreira

Entre ombros nas ombreiras
nenhum assombro:
ombros ombro a ombro
param ombro na ombreira

Quando tudo escombro
ainda todos seremos
ombro na ombreira

Alexandre O´Neill

maria teresa disse...

DE OMBRO NA OMBREIRA

De ombro na ombreira vejo
no outro lado outro
ombro na ombreira

Entre ombros nas ombreiras
nenhum assombro:
ombros ombro a ombro
param ombro na ombreira

Quando tudo escombro
ainda todos seremos
ombro na ombreira

Alexandre O´Neill

maria teresa disse...

DE OMBRO NA OMBREIRA

De ombro na ombreira vejo
no outro lado outro
ombro na ombreira

Entre ombros nas ombreiras
nenhum assombro:
ombros ombro a ombro
param ombro na ombreira

Quando tudo escombro
ainda todos seremos
ombro na ombreira

Alexandre O´Neill

maria teresa disse...

DE OMBRO NA OMBREIRA

De ombro na ombreira vejo
no outro lado outro
ombro na ombreira

Entre ombros nas ombreiras
nenhum assombro:
ombros ombro a ombro
param ombro na ombreira

Quando tudo escombro
ainda todos seremos
ombro na ombreira

Alexandre O´Neill

maria teresa disse...

"Passo-me" com o Windows Vista!
Que horroooooor!
Fernando anule "os" que estão a mais, por favor.

Maria disse...

Que beleza de poema.... que arrepio.....
... e que posts excelentes, Fernando Samuel...

Um beijo grande

Fernando Samuel disse...

maria teresa: ler o O'Neill duas, três, quatro... vezes: por que não?

maria: um beijo grande.