«NERVO JORNALÍSTICO»

Na última edição do Sol - a nº 100 - é-nos dito ser aquele «um jornal a que não escapa nada» e que trouxe à imprensa portuguesa «mais alegria, mais investigação, mais nervo jornalístico».

Eis um exemplo concreto das auto-proclamadas qualidades do Sol, tirado precisamente dessa edição nº 100.
Na primeira página, grita-se em grandes letras: «CGTP enganou operárias» - publicando ao lado uma fotografia do secretário geral da CGTP.
Lá dentro, num texto assinado por Manuel A. Magalhães - jornalista que, pelo conteúdo da generalidade dos seus escritos semanais, pode ser considerado como simpatizante (pelo menos...) do BE - contam-se uma série de maldades feitas pelo Sindicato dos Têxteis do Minho às operárias de uma fábrica da região. No final do texto, pode ler-se: «O Sol tentou ainda ouvir a direcção da CGTP, sem sucesso».
O Sol conseguiu, no entanto - certamente à custa de incomensuráveis esforços - ouvir Manuel Monteiro sobre o assunto.
Monteiro, do alto da sua postura de extrema direita, proclamou que «o sindicato foi inaqualificável», e manifestou grande pesar pela situação das trabalhadoras, coitadas, vilmente enganadas pela CGTP e pelo PCP... - desfiando uma série de afirmações repescadas do órgão oficial do fascismo salazarista.

Agora, veio a CGTP esclarecer que é falsa a afirmação de Magalhães e que ninguém da central sindical foi contactado nem pelo dito Magalhães nem por qualquer outro funcionário do Sol.
E vem a União dos Sindicatos de Braga mostrar, por a+b, que se trata de uma peça de «encomenda» e de «desinformação que visa apenas atingir o bom nome da CGTP e promover um político protector dos patrões da região» e servir, afinal, os interesses da empresa.

É a isto, certamente, que o Sol chama «nervo jornalístico»...

9 comentários:

samuel disse...

Tudo o que eles fazem, aliás, deve ser "derivado" aos nervos... um eufemismo muito utilizado em Portugal para desculpar mentecaptos.

Crixus disse...

O que me causa nervos são muitas das "noticias" ou peças jornalisticas dos jornais portugueses, com atitudes como esta, claramente intencionada. Só há uma palavra para as classificar: nojo.

Antuã disse...

isso não tem nada de sol; é apenas escuridão. a escuridão nazi.

Maria disse...

Com nervos fiquei eu quando vi o título do jornal....
Esta desinformação é inclassificável. Estamos a entrar num túnel desinformativo que eu não sei onde vai parar...

Um beijo

poesianopopular disse...

Eles odeiam-nos, pelo facto de não sermos os patetinhas dóceis que acreditam e bebem o veneno que eles destilam, mas, infelismente ainda existem pessoas umas por ignorarem, outras porque gostam, de se ver ao espelho, que ainda acreditam nestas estórias do antigamente.

CS disse...

Vende-se em todas as mercearias e super-mercados um protector solar que nos protege dos malefícios desse "sol". É o fosforo!

Fernando Samuel disse...

samuel:e nesse caso eles são só... nervos...
Um abraço.

crixus: nojo, sem dúvida.
Um abraço.

antuã: escuridão, noite, mentira, manipulação...
Um abraço.

maria: túnel desinformativo: bem visto.
Um beijo.

josé manangão: e infelizmente não são tão poucas como isso...
Um abraço.

cs: abençoado fósforo!...
Um abraço.

zambujal disse...

Nem o título tinha visto! Ia a caminho doutro nojo, expressamente falando. O sol na eira e o expresso no nabal!
Obrigado pelo teu trabalho de informação. Cheio de (verdadeiro) nervo.
Grande abraço

Anónimo disse...

No melhor pano cai a nódoa, e a intocável CGTP afinal tambem tem telhados de vidro.


J.Z.Mattos