Se fazemos isto em 3 dias...

O meu primeiro contacto fora do recinto Festa do Avante foi com o portageiro da Ponte 25 de Abril. Um natural –“quanto é camarada?” suou da minha boca. Logo me apercebi que a frase já não estava no contexto certo, mas dei comigo a pensar como a Festa nos faz bem, nos mostra como deviam ser as coisas, o trato cordial e amigo entre as pessoas - a Festa tem esse efeito: transforma positivamente durante 3 dias e mostra que o futuro pode ser bonito, como a Festa.

Há coisas que só vividas se podem entender. A Festa é indescritível, pelo menos para mim, e por muito que a tente descrever é sempre redutor, é como aquilo a que designamos conceitos abstractos.

Este ano consegui levar 2 amigos, digo consegui, porque há muito que os tentava levar a vivenciar a Festa. Umas vezes por isto, outras por aquilo, mas foi desta, é como a nossa luta, poderá levar tempo mas a vitória é certa, só não tem data marcada.

E se há coisa que me dá particular prazer, é ver cair o preconceito. É um regalo para mim, poder olhar para os meus amigos, quando do alto da entrada da Medideira, perante aquela vista esplendorosa eles vêm pela primeira vez a Festa, esses olhares, aquela perplexidade que transparece quando alguém visita pela primeira vez a Festa. Senti que estariam ambos a pensar e a matutar – Como é que é Possível? Andaram a mentir-me a vida toda.

Mentiram, Mentem e Mentirão sobre a Festa, porque a Verdade é aquela que lá está, aquela que se vive e sente. Com medo desta verdade incontornável para quem visita a Festa. Mentem, porque eles sabem a verdade. E a verdade é que a Festa apaixona, a Festa mostra o que somos, o que queremos e que isso é contrário aos seus interesses. Por isso é grande a vontade de acabar com esta Festa, por isso constroem artigos de imprensa, deturpam imagens, fazem leis contra a Festa. Mas perdem seu precioso tempo porque a Festa é comunista, por isso indestrutível, e resiste e cresce.

Há uma dimensão da Festa que nos deixa antever o nosso futuro…

Há uma frase que, certamente, grande parte dos comunistas já ouviu várias vezes, qualquer coisa como isto: “Ah! o comunismo é muito giro, mas utópico e inalcançável pois é contrário à Natureza Humana”. O camarada Álvaro tem uma frase que responde claramente a esta ideia: -“ao que uns chamam utopia nos chamamos futuro”... Nem mais, pois para esta ideia que os redactores do capitalismo apontam, até porque, pode alguém ler qualquer coisa sobre o comunismo, interessar-se e até gostar dos caminhos de humanismo e amor pela humanidade a que o comunismo conduz. Há então, que construir essa mesma ideia de que: É pena, era bom que assim fosse, mas não dá pois o ser humano é mau…

Pois também, na Festa esta ideia é claramente desconstruída. Porque a dita “natureza humana” não existe como produto acabado, é construída em função da sociedade e sobretudo do sistema político em que vivemos, assim parte da afirmação de que a “natureza humana” é má, torna-se em alguns casos verdadeira, mas apenas para este sistema político de exploração do homem pelo homem, que se chama capitalismo. Noutras condições, num sistema político de justiça social, de igualdade, de amor pela condição humana, numa sociedade socialista que tenha como meta o comunismo, naturalmente surgiria um novo tipo de “natureza humana” bem diferente. É bonito imaginar essa sociedade onde palavras como amizade, solidariedade, fraternidade, seriam tão naturais e usuais que perderiam seu significado.

Ainda estamos longe deste momento, mas a Festa mostra em três dias, da possibilidade de alcance desta ideologia materialista, pois aqueles três dias da Festa são diferentes dos outros 362. Ficamos mais humanos, mais amigos, mais fraternos, mais solidários, mais próximos da verdadeira condição humana -daquilo a que chamamos comunismo e que é o nosso Futuro.

Viva a Festa.
Viva o Partido que a constrói.

6 comentários:

Ana Camarra disse...

Fernando Samuel

De há uns tempos a esta parte ofereço como prendas de aniversário EP's.
Ao principio olham de lado depois lá vão, depois deslumbram-se, até ajudam nas tarefas, no seguinte voltam de mote próprio.
A nossa festa é simplesmente fantástica, a emoção, a camaradagem, a diversidade, a ternura, a força das convicções, é contagiante.
E isso é inegavél, podem mentir o que quiserem, se cada um de nós levar mais dois....

beijos

poesianopopular disse...

Fred
...E não é que, eu gostava de ter escrito isto!
Mas, assim é mais fácil, é só aplaudir.
Viva o Partido Comunista Português

Fernando Samuel disse...

Lindo, meu amigo.
Ali na Atalaia, vivemos durante três dias um pedacinho do futuro que havemos de conquistar.

Um abraço grande.

Subterrâneo da Liberdade disse...

Caro Camarada,

Vejo que percebeste, perfeitamente, o espirito da Festa e que a sabes viver e conheces a sua verdadeira dimensão. Consegues, também, descrever mais ou menos a Festa do Avante! para aqueles que nunca a sentiram e viveram. Só digo mais ou menos porque concordo, plenamente, contigo a nossa Festa é indescritível.

PS.: Algo engraçado é que aqueles que dizem que o comunismo é utópico intitulam-se, na maioria dos casos, de cristãos. Ou seja eles dizem porque é uma frase batida pelo imperialismo, não é fruto da reflexão.

samuel disse...

Belo texto!

Abraço

Ana Maria Teixeira disse...

Ao ler o texto, senti o mesmo que sinto quando estou de corpo e alma na festa. Obrigada por prolongares esse sentimento que é tão bom. Beijinhos