POEMA

AS PESSOAS SENSÍVEIS


As pessoas sensíveis não são capazes
de matar galinhas
Porém são capazes
de comer galinhas

O dinheiro cheira a pobre e cheira
à roupa do seu corpo
aquela roupa
que depois da chuva secou sobre o corpo
porque não tinham outra
O dinheiro cheira a pobre e cheira
a roupa
que depois do suor não foi lavada
porque não tinham outra

«Ganharás o pão com o suor do teu rosto»
assim nos foi imposto
E não:
«Com o suor dos outros ganharás o pão»

Ó vendilhões do templo
Ó construtores
das grandes estátuas balofas e pesadas
Ó cheios de devoção e de proveito

Perdoai-lhes Senhor
porque eles sabem o que fazem

Sophia de Mello Breyner Andresen

9 comentários:

Justine disse...

Perdoai-lhes nada! Que ardam nos fundos do inferno...:))

dona tela disse...

Uma semana muito fixe para si.

Maria disse...

... porque eles sabem o que fazem, é verdade!
Ah, como me apetecia dar-te um abraço agora mesmo...

Deixo um beijo grande

maria teresa disse...

AUTOPSICOGRAFIA

O poeta é um fingidor,
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calçhas da roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

Fernando Pessoa

samuel disse...

Essas pessoas "sensíveis" sabem sempre, sempre, o que (nos) fazem. Já quanto ao perdão... só se for mesmo o tal "senhor", pois dizem que essa é a sua especialidade mais apreciada.

Ana Camarra disse...

São os que depois, como cantava Zé Barata Moura, brincam á caridadezinha.
Sofia era uma inteligência superior.

beijo

Fernando Samuel disse...

justine: estou de acordo.
Beijo.

dona tela: igualmente para si, minha amiga.
Um beijo.

maria: e eu a ti!
Beijo grande.

maria teresa: mesmo com as gralhas é... Pessoa. Obrigado.
um beijo.

samuel: e o tal Senhor bem precisa de tar mais atenção à justiça...
Abraço.

ana camarra: e POETA maior...
Beijo.

maria teresa disse...

Fui ver as gralhas e estou farta de rir!
Isto tem uma justificação, estou de partida e assoberbada com as "coisas" que ainda estão por organizar e não estou a falar de malas, isso é a parte secundária.

Um abraço e é altura de dizer até à volta!

Fernando Samuel disse...

maria teresa: boa viagem, boa estadia, bom regresso.
Já tenho saudades dos seus comentários e da sua contribuição poética.
Até à volta!
um abraço amigo.