ANALISTAS PREOCUPADOS...

O Público dedica uma página ao referendo em que o povo equatoriano se vai pronunciar, hoje, sobre o projecto de Constituição.
No que respeita às perspectivas, é-nos dito que os «equatorianos inclinam-se» para aprovar o projecto - sendo sublinhado, de imediato, que «mesmo que o texto passe, há uma zona pouco clara, centrada nas ambições do Presidente socialista Rafael Correa, que preocupa alguns analistas».
Eis como uma simples frase... diz tudo: se a Constituição for aprovada pela maioria do eleitorado, a minoria lá está para o que der e vier...
E, como é hábito nestas circunstâncias, há sempre «alguns analistas» preocupados...

Como também é hábito, é a esses analistas preocupados que o Público dá a palavra.
E as preocupações dos analistas são, igualmente, as habituais.
Assim, um analista preocupa-se com o facto de, no caso de a Constituição ser aprovada, ela vir a ser «um instrumento nas mãos de um líder que reproduz, em nome de uma suposta revolução, os estilos de uma velha política populista e clientelista, recheada de autoritarismo, de demagogia e extremo personalismo».
Onde é que nós já ouvimos isto?...
E isto?: outro analista, ainda mais preocupado do que o anterior, diz que, mesmo que a maioria aprove a Constituição, se, numa certa região do país o «não» for vencedor... isso poderá «desencadear no país um motim semelhante» ao da Bolívia...

Noutra linha de análise preocupada, um professor de Direito da Universidade de não sei onde conclui, peremptório, que o texto constitucional «é vago, muito extenso, confuso e complicado»...

Em síntese, todos eles estão preocupados e com «medo de que a Constituição, primeira pedra do "socialismo do século XXI" defendido por Correa, leve o país num caminho semelhante ao da Venezuela e da Bolívia», ou, mais concreta e precisamente, num «caminho que ameace a propriedade privada»...
Isto porque, segundo o projecto de Constituição, «a economia de mercado será substituída por um "sistema enocómico social e solidário, centrado nas pessoas», e a «propriedade privada passa a coexistir com a pública, a estatal, a associativa, a cooperativa e a mista».
Enfim, tudo medidas que, como não podia deixar de ser, preocupam seriamente os analistas...

A mostrar, de forma ainda mais clara, o sentido dessas preocupações registe-se, por exemplo, este dado curioso:
os referidos analistas não estão preocupados com o facto de metade dos cerca de 14 milhões de equatorianos serem pobres e muito pobres - mas estão preocupadíssimos com a decisão já tomada pelo PresidenteRafael Correa de «destinar os lucros do petróleo nacional à classes mais desfavorecidas».

Preparemo-nos, então, para a campanha que aí vem. E para ver as preocupações destes analistas traduzidas nas habituais acções contra-revolucionárias.

9 comentários:

poesianopopular disse...

Este sistema é imoral, estes (anlistas)são imorais, é assim que o Mundo democrático, e civilizado, deve considerá-los, porque isto é tentativa de entoxicação, da opinião pública, isto deve ser considerado terrorismo, porque é intensionalmente premeditado e propalado.

Ana Camarra disse...

Esses comentadores são todos escolhidinhos a dedo....

beijos

Aristides disse...

Afinal a palavra analista vem de anal, ou não? Bem, passando por cima desta "piada" de gosto duvidoso, sempre acrescento que aquele argumento de que o texto constitucional «é vago, muito extenso, confuso e complicado» já o ouvi em qualquer lado, não me lembro onde. Parece-me que o objectivo era o mesmo de agora, evitar que o povo se exprima.
Abraço camarada

Maria disse...

Pois é, estas análises servem para prepararem a opinião pública para eventuais "medidas para re-estabelecer a democracia" seja onde for...

Um beijo grande

Crixus disse...

A mim o que mais me preocupa são esses "analistas preocupados", por saber o que representam...

Antuã disse...

estes "analistas" não passam de lacaios. A nossa luta passa por esclarecer os trabalhadore, operários ou intelectuais, desta realidade. Lutaremos até que a morte nos leve.

Fernando Samuel disse...

poesianopopular: terrorismo é uma boa qualificação para estes escritos...
Abraço.

ana camarra: e certamente pagos.. a dedo...
Um beijo.

aristides: é daí que vem, certamente e, como tal,tem o mesmo cheiro de sempre...
Abraço.

maria: é o velho esquema de sempre.
Um beijo.

crixus: são sinistros...
Abraço.

antuã: o que significa que lutaremos... até à vitória final.
Abraço.

Hilário disse...

Deveremos ser nós, com as nossas forças e com os nossos materiais a informar toda a minha gente quem são esses analistas e quais os seus objectivos.

Duma coisa tenho eu a certeza, é que eles vão continuar a massacrar diáriamente as nossas consciências.Que Fazer?

Continuar sempre a lutar com aquilo que temos, a nossa força, a nossa coragem e a nossa convicção de que vale sempre a pena lutar.

Um Abraço

Fernando Samuel disse...

hilário: não outro caminho, camarada.
Um abraço.