POEMA

PRESS AMERICANA


Vejam! Ali! Ali surgiu um rato!

Será possível que os seus olhos,
cinicamente luminosos,
transportem duas bombas atómicas?

Temos de vigiar; impedir o desacato.
O inimigo atinge as nossas portas.

São portadores de vírus; são leprosos;
como da química nascidos proliferam
em traiçoeiras retortas;
em cada guerra aumentam, extravasam
da gafaria e adulteram
das nossas ambições os melhores veios.

(O roedor é uma infiltração. Sabemos
que o inimigo não escolhe meios
- ou melhor, sabemos que os escolhe.)

Concedei inspiração e orçamento
aos nossos sábios. Que cada um olhe
somente o bem comum e se dedique
a encontrar a novel fórmula, o eficaz
raticida; de preferência em drageias
de aspecto fino e venda garantida.

Olhem bem! Ali! Atrás daquela moita
não é outro que se acoita?

Egito Gonçalves

5 comentários:

poesianopopular disse...

Parecendo que não , é para isto que devemos estar preparados.
Um verdadeiro Revolucionário, sabe que assim é.
Abraço

Ana Camarra disse...

Boa malha!
Não conhecia.
Gostei muito.

bjks

Fernando Samuel disse...

poesianopopular: esta press americana sabe muito...
Abraço.


ana camarra: umbeijo grande.

Justine disse...

Certeiro retrato!

Fernando Samuel disse...

justine: é a press americana em acção...
Um beijo.