POEMA

HOMEM COM ESPERANÇA


Acabaremos algum dia, talvez amanhã,
com as palavras inúteis e bonitas,
com o tinir da porcelana fina,
e com as marionetes de escuras cores.
E ensinaremos aos nossos filhos, paridos sem dor,
o como e o porquê de cada coisa,
e deixamo-los ir para a rua, sem medo,
e brincarão a construir povos.
E tocarão na terra,
e fá-la-ão sua e de todos,
e escreverão, com novas palavras,
novas leis, nova história e nova vida.
Também virá um barco de ágil vela,
esquivando tempestades e altivas rochas,
e levará todo o ouro da terra, mitos e falsos deuses,
e deixar-nos-á quedo o mar e uma pequena barca.
Com ela iremos saudar os povos,
às costas uma mochila com ferramentas e livros,
nos olhos um brilho de alegria,
e a esperança nos homens e nos dias.

Joaquim Horta
(In Antologia da Novíssima Poesia Catalã)

6 comentários:

samuel disse...

Venha esse dia! A mochila está feita...

Maria disse...

É só do que precisamos: de um barco e alguma água doce...
Belíssimo poema de "esperança nos homens e nos dias"...

Um beijo grande, já com brilhozinho nos olhos

poesianopopulr disse...

A esperança é a ultima a morrer, enquanto houver vida....

Sal disse...

Esperança e confiança.
bjs

subterraneodaliberdade disse...

Caro Camarada,

Belo poema!

Um homem tem que ter esperança num futuro melhor porque isso é o sal da vida. No entanto, não se pode esquecer que para esse futuro seja melhor tem que se ser passageiro do tal "... barco de ágil vela,/esquivando tempestades de altivas rochas,/ e levará todo ouro da terra, mitos e falsos deuses..."

Saudações

Mário Figueiredo

Fernando Samuel disse...

samuel: e eu tenho para aqui uma barca...
Abraço.

maria: já só faltam dois dias...
um beijo grande e até sexta.

poesianopopular: sem esperança... era o fim...
Abraço.

sal: e luta!
Um beijo e até sexta.

Mário Figueiredo:... e ter esperança é lutar pela esperança...
Um abraço.