COISAS DA DEMOCRACIA MODERNA...

Curiosa notícia, esta: primeiro, diz-nos que a Entidade das Contas e Financiamentos Políticos - a tal, exactamente... - informou que elementos seus
«estiveram na Festa do Avante mas não fizeram qualquer acção de fiscalização».
Lida a informação, fui levado a pensar que os representantes da Entidade estiveram na Festa como quaisquer outros visitantes - assistindo aos espectáculos, comendo um petisco, apreciando as exposições, vendo um filme ou assistindo a uma peça de teatro, enfim, fruindo a Festa enquanto espaço único de cultura e convívio fraterno - e não como polícias da Entidade: fiscalizando e fazendo relatório sobre quantos visitantes não cumpriram a «lei» e pagaram a bica, ou a cerveja, ou a garrafa de água, com uma moeda e não com os obrigatórios cheque ou cartão multibanco...

Contudo, umas linhas mais abaixo, a dita notícia informa que a dita Entidade
«só à posteriori comunicará o resultado desta fiscalização»...
Ó diabo!...
Assim sendo, ficamos a saber que não houve fiscalização, mas que um dia destes seremos informados sobre... o resultado da fiscalização.
Ó diabo!...

Parece anedota, mas não é. Como não é anedota a exigência do cheque ou do cartão multibanco para pagar a bica - e muito menos o é o critério da Entidade ao considerar que o lucro da Festa é a soma de todas as receitas sem descontar as despesas...
É que tudo isto está em conformidade com os objectivos da famigerada «lei» e da razão de existir da igualmente famigerada Entidade:
a «lei» foi feita exclusivamente contra o PCP e a Festa do Avante; a Entidade existe, é paga e funciona exclusivamente contra o PCP e a Festa do Avante.
O que é bem revelador de como, quer a «lei» quer a Entidade, são corpos estranhos à Democracia.

Entretanto, e no que respeita ao financiamento dos partidos, registe-se a recente criação, pelo PS, de uma coisa chamada Fundação Respública - que, segundo nos é dito, vem substituir as extintas fundações José Fontana e Antero de Quental, também elas propriedade do PS.
Recorde-se que as duas fundações agora extintas foram criadas em 1977 com o objectivo - que cumpriram plenamente - de lavar os milhões de contos com que os EUA, a Alemanha, a França, a Inglaterra, etc, financiaram a contra-revolução de Abril encabeçada pelo PS/Mário Soares.

É claro que a Fundação Respública, criada para financiar o PS, pode agir à vontade e sem qualquer Entidade a fiscalizar a(s) proveniência(s) dos seus fundos.
Proveniência(s) fáceis de imaginar, se olharmos para a composição da Direcção da Fundação...


É esta a democracia moderna em que vivemos... até conquistarmos a outra: a democracia, apenas.

9 comentários:

Cs disse...

Proponho a "Fundação Avante!" com foice e martelo sem esquecer a carvalhesa! E uma dose de paciência sem limites para aguentar essa... encontrem o vocábulo apropriado.

rms disse...

Não há festa como esta! Isso é que lhes dói! E para o ano lá estaremos outra vez!!!

G. Caín disse...

Fernando, grato pela visita em Há Vida em Marx e pelo elogio tecido. Aproveitando, o nome do seu blogue é muito criativo. Parabéns!

samuel disse...

A falta de vergonha... refundada.

Antuã disse...

Os mafiosos são capazes de tudo. É preciso estar alerta.

poesianopopular disse...

Camarada
Eles querem todas as democracias, excepto a DEMOCRACIA APENAS,tambem propalaram aos quatro ventos que não queriam o Socialismo de miséria, mas, quizeram esta miséria a que chamam de (socialismo).
As Fundações por eles criadas, são como coutadas de caça onde só eles podem caçar, sem terem que divugar a origem da caça nem das armas, não é por acaso que a criminalidade aumentou, estes exemplos a isso dão incentivo.

Anónimo disse...

Pois é, camaradas e... cambada! Fui dar um pulinho à "longa marcha BEs" contra a precaridade e ia LEVANDO PORRRADA!

Parece mentira, mas é verdade. Quando comecei a gritar uns impropérios contra o Márocas Soares (inventor dos recibos verdes no ano de 1983) levei uns safanões do guarda-costa do Louçã, por estar a querer "inquinar a unidade da esquerda". A sorte foi que me fiz passar por ingénuo e eles precisavam de figurantes na Praça das Nações. Já no restaurante de Setúbal, pra morfar umas gambas - acreditem! - não faltaram os figurões...

E atenção: começámos por ser dúzia e meia de idiotas com um boneco às costas a "marchar" plo Parque das Nações à beira Tejo e por entre os jardins, mas nem foi mau de todo: apesar do ridículo da cena circense, a brisa corria ligeira. Depois do passeio foi tempo de jantarada e acreditem: por 10 € nunca comi prato principal que chegasse aos calcanhares daquelas entradas de morcela... Huuummmm!!!! A sobremesa já foi pior: O FranCHICO ESPERTO tentou mandar umas piadas no meio do discurso... Serão conselhos dos acessores de imagem? Não sabemos, mas fica o aviso: mantenha o tom de frade jesuita - é mais a sua onda.

De qualquer modo, termino depressa que o tempo é escasso e amanhã temos umas "performances" no jardim do Barreiro logo pelas 10h da matina. Aliás, plo que vi do programa da "longa marcha" BEs contra a precaridade, este e o próximo fim de semana serão passeados entre feiras, mercados e empreendimentos do Bélmiro de Azevedo. Porquê do Bélmiro de Azevedo? Não sei... talvez por ser fácil, talvez porque o Bélmiro enganou a família Louçã há 30 anos ou talvez porque o Américo Amorim pague saborosas morcelas. Quem souber que o diga e quem está de fora que tire à sorte.

De qualquer modo, conheci o jovem deputado José Soeiro e, sobretudo, conheci as opiniões dos seus "camaradas".... mas amanhã conto mais!

Anónimo disse...

Eles sabem-na toda e... amanham-se bem!!!
rui silva

Fernando Samuel disse...

cs: vocábulos apropriados é o que não falta...
Abraço.

rms: isso é mais do que certo...
Parabéns pelo Um Tal de Blogue.
Abraço.

g.cain: lá voltarei, meu amigo.
Um abraço.

samuel: exactamente!...
Abraço.

antuã: temos que estar alerta.
Abraço.

poesianopopular: democracia apenas... é demais para eles...
Abraço.

rui silva: ó se se amanham...
Abraço.