POEMA

SANGUE IMPETUOSO


Sangue impetuoso,
não te submetas nunca!
Ri-te das estreitezas capilares
ou de qualquer compressa para te reter.
Não cedas nunca!

Caminha, corre, salta!

Salta as barreiras por maiores que sejam.
Caminha por mais ásperos que sejam os caminhos.

Corre, salta!

És a vida.
A vida está na tua marcha invulnerável,
na tua rota sem tréguas, nem limites, nem curvas, nem paragens,
na tua cavalgada de horizontes rasgados,
em teu grito selvagem.

Corre, salta!

E se não te cumprires em mim,
não pares ainda, não cedas: corre!
Rasga à punhada as paredes de treva.
Salta e estilhaça os diques, as montanhas!
Salta nas veias dos meus filhos ou meus netos,
mas segue:
por maiores que sejam as barreiras,
por mais ásperos que sejam os caminhos.

Caminha, corre, salta,
- rebeldemente, impetuosamente!


Mário Dionísio

(«Com Todos os Homens nas Estradas do Mundo»)

6 comentários:

Maria disse...

Sangue fervente, é este o sangue com que se faz a Revolução!

Um beijo. Grande.

samuel disse...

Será quando for... mas será!

Abraço.

Graciete Rietsch disse...

Há-de ser. Os nossos grandes poetas deixam semente que florescerá,

Um beijo.

MR disse...

Imaginando música para aqui. Um jorro sonoro e contínuo de violas e violoncelo. Um salto de fagote cortado por timbale... etc.
Se houver por aí um compositor à mão que se disponha a escrever... Depois faz-se a Festa e canta-se lá, com coral.
Mas não deixem o chifrudo andar por perto. É capaz de induzir a fabricação de sangue com anilinas importadas.

smvasconcelos disse...

Resignar-se nunca! Lutar, lutar sempre!
beijo.

Fernando Samuel disse...

Maria: a revolução em marcha...
Um beijo grande.

samuel: inevitavelmente.
Um abraço.

Graciete Rietsch: a poesia é uma arma carregada de futuro...
Um beijo.

MR: se eu fosse músico... mas talvez possa participar no coro...
Um abraço.

smvasconcelos: é esse o caminho.
Um beijo.