«A ESQUERDA RESPONSÁVEL»

De algumas pessoas diz-se que têm pouca vergonha - com isso se querendo dizer que, apesar de tudo, ainda têm alguma vergonha.
De outras se diz que não têm vergonha nenhuma - com isso se querendo dizer... o óbvio.
Está neste caso Vital Moreira que, hoje, no Público, veio a terreiro em defesa do PEC - considerando que ele, o PEC, «é necessário, credível e em geral socialmente justo».

Vindo de quem vem, este louvor à catástrofe social que é o PEC não surpreende.
Com efeito, Vital Moreira, desde que se passou com armas e bagagens para o lado da contra-revolução, tem sido um dos mais assanhados propagandistas da política de direita - e tamanha é a ânsia de mostrar arrependimento pelo seu passado e testemunhar fidelidade canina ao seu presente que, muitas vezes, se exibe mais socratista do que o Sócrates- e quando necessário, é capaz até de protagonizar as mais baixas provocações, como aconteceu no 1º de Maio do ano passado.
Aliás, essa é uma prática comum a todos os trânsfugas, a todos os vira-casacas, a todos os rachados.

Vital veio, então, aplaudir o PEC e o Governo do PEC: «governo de esquerda responsável», diz ele - talvez porque faz uma política de direita...
Governo que - alerta Vital - «não pode embarcar no aventureirismo das esquerdas radicais» - talvez porque defendem uma política de esquerda...

O retrato está feito: é o Vital-da-esquerda-responsável de cócoras aos pés dos donos, lambendo-lhes as mãos e abocando as migalhas que eles lhe atiram.

10 comentários:

poesianopopular disse...

Esta vida é muito engraçada!
Como é que um objecto destes, pode espézinhar assim o seu passado?
Que coerência, que dignidade, que caracter?
Como é que esta escória, fez parte do nosso Partido?
E depois somos nós é que somos sectários.
Abraço

samuel disse...

Uma coisa tem de bom: como é capaz do pior... é o que faz!

Abraço.

Graciete Rietsch disse...

E as migalhas não são nada pequenas por isso ele se tornou num trânsfuga. Mas há mais infelizmente. Por onde andará a consciência dessa gente?

abraços.

manuelmgaio disse...

Será que a conclusão do inquérito sobre a sanidade mental é a explicação mais lógica?
É pena não haver registo no YouTube das intervenções do Vital na AR para se ver a dimensão da cambalhota.
Diga-se em abono da verdade que, ainda no PCP, algumas declarações e entrevistas do Vital Moreira já faziam antever esta deriva direitista que a vaidade, as fragilidades do PS e de Sócrates acentuaram.
Parece que sente o terreno a fugir-lhe e anda ele próprio em permanente fuga para a frente.

Anónimo disse...

Ó pá... como dizer? É um tipo esperto - brilhante - mas sempre virado para o que mais lhe interessa no plano do exercício do poder pessoal, de influência. Como os surfistas, aproveita as ondas que estão a dar. De palavra cativante de plateias, demagogo, nunca deixou de revelar contradições gritantes entre a sua postura nos círculos pessoais e partidários mais próximos, com manifestações de autoritarismo e arrogância, pouco condizentes com práticas de convívio fraterno que se esperaria de um militante do PCP em tempo de PREC. É uma estrela, uma «star». Como em muitas coisas entendo que as pessoas têm o direito de mudar de opinião. Julgo, honestamente, que encontrou o seu caminho, onde se sente bem. É deixá-lo estar. Isto não é de um rachado. Parece-me mais um infiltrado que deixou de ser. E, na minha opinião - apesar de alguma mágoa - ainda bem. O rachado não se aplica mesmo neste caso.
De vez em quando é preciso pô-lo à distância, com respeito, mas à distância. Tem havido outros piores. Umas cardinalícias figuras, enfim, há de tudo.
Isto da União Soviética ter ido às malvas teve as suas causas e consequências. Algumas figuras com esperança de ascender num quadro de perspectiva de poder, perderam essa referência e viraram costas.

Já vai longo...
Alguém que puxe o autoclismo.
Abraço
MR

Antonio Lains Galamba disse...

é a «esquerda» responsável por o estado a que isto chegou!!!

abraço

Anónimo disse...

eh pá que há rachados, lá isso há.
que este gajo sempre tenha sido oportunista, pronto, está bem.
E que é necessário estarmos atentos a este tipo de artistas é.
quanto às suas "posições políticas"(senta, deita, dá a patinha), vão dando o que ele pretende. que sê muito feliz, que se cubra d'oiro , mas se fizer m... que fique com ela!
abraço do vale

Fernando Samuel disse...

poesianopopular: eles são assim...
Um abraço.

samuel: ... coerentemente...
Um abraço.

Graciete Rieysch: sabem lá eles o que isso é!...
Um beijo.

manuelmgaio: tudo isso é verdade, e «a verdade» há-de ser mais do que isso.
Um abraço - e obrigado pela visita e pelo comentário.

MR: estou de acordo - e também com o autoclismo...
Um abraço.

Antonio Lains Galamba: exactamente,
Um abraço.

do vale: nem mais.
Um abraço.

Maria disse...

Há tipos que eu já nem aguento ouvir-lhe o tom de voz, muito menos lê-los ou vê-los...
Fazem parte dos rastejantes.

Um beijo grande.

Fernando Samuel disse...

Maria: os répteis...
Um beijo grande.