POEMA

POEMAS DO CÃO DANADO (3)


Eis-nos boiando, aflitos,
só as narinas e os braços fora de água,
prestes a sucumbir.
E a terra tam perto cheia de gente alegre...
Um gente endinheirada e bruta,
pisando todas as flores.
Já nem sabemos se as lágrimas
serão gotas do mar que nos envolve,
se é o mar a água das nossas próprias lágrimas.

E a terra tam perto,
cheia daquela gente endinheirada e bruta,
pisando todas as flores...
E nós para aqui boiando,
escorraçados afinal da própria casa,
como quem não paga a renda.
Ah que é como um país nosso invadido por estrangeiros!

E, narinas abertas numa ânsia de vida,
miseráveis, covardes,
sem a coragem de nos deixarmos sucumbir,
cair prò fundo, acabar!


Mário Dionísio

(«O Homem Sozinho Sentado na Beira do Rio»)

8 comentários:

samuel disse...

Felizmente é maior a vontade de escorraçar aquela "gente endinheirada e bruta"... e pelo menos salvar as flores.

Abraço.

Graciete Rietsch disse...

Tão actual este magnífico poema.
Um beijo.

Anónimo disse...

gente dessa, é preciso.
vamos plantar jardins , na caspa bolorenta dos endinheirados calcadores de flores.
abraço do vale

Geraldo Brito (Dado) disse...

Bonito poema!

Anónimo disse...

... e bruta, boçal, calculista, egoísta, fascista.
MR

Maria disse...

Estes "poemas do cão danado". que só li hoje, são terrivelmente bonitos... e tão actuais!!!

Um beijo grande.

smvasconcelos disse...

Lindo este poema! Conheço mal este poeta, mas vislumbro que passarei a inseri-lo na estante dos meus afectos.Obrigada por estes poemas!
Não sucumbiremos!
beijo.

Fernando Samuel disse...

samuel: e bem necessário é escorraçá-la (pelo menos...)
Um abraço.

do val: vamos a isso.
Um abraço.

Geraldo Brito (Dado): obrigado pela visita e pelo comentário.
Um abraço.

MR: bem vistas as coisas é isso mesmo que essa gente é...
Um abraço.

Maria: ainda bem que gostas.
um beijo grande.

smvascvoncelos: creio que vais gostar muito do Mário Dionísio.
Um beijo.