EM ABRIL SE VERÁ

Artur Albarran começa a ser julgado em Abril, «por burla ao Estado».
Segundo os jornais, a empresa Euroamer, de que Albarran é a figura maior em Portugal, está envolvida numa série de obscuras manobras de engenharia financeira e «deve 16 milhões de euros ao fisco».

Albarran é uma figura cujo nome se tornou célebre em Setembro de 1975, por ocasião do assalto à embaixada de Espanha em Lisboa - acção «revolucionária» que o «revolucionário» Albarran comandou e incitou aos microfones da Rádio renascença.
«A embaixada está a arder e bem», gritava ele, entusiasmado, na noite do assalto - assalto que, desde então e até hoje, foi assacado ao PCP...

A apetência «revolucionária» de Albarran levá-lo-ia, depois, a aderir ao chamado Partido Revolucionário do Proletariado - Brigadas Revolucionárias (PRP - BR), no qual desenvolveu actividades que o levaram a integrar o processo judicial das BR - processo do qual se saiu bem, sem problemas de maior...

Foi então que saiu de Portugal. Porquê e para quê, só ele o sabe,,,
Primeiro, foi para a Inglaterra - onde, estranhamente (ou não...), arranjou logo lugar, nada mais nada menos do que na BBC...
Dali seguiu para os EUA - onde, estranhamente (ou não...), não se sabe bem o que fez...
Depois, em 1980, regressou a Portugal - onde, estranhamente (ou não...), ingressou de imediato na RTP como director de programação da 1 e da 2...

Passados uns anos - após uma «carreira televisiva fulgurante», o «apoio a Freitas do Amaral», etc - passou a dedicar-se a negócios de maior envergadura.
Carlucci, com quem Albarran travara conhecimento em 1975 - estranhamente (ou não...) «conheceram-se na altura do assalto à embaixada de Espanha»... - chamou-o e propôs-lhe ser o «rosto português da Euroamer», empresa do Grupo Carlyle (um dos maiores fundos internacionais de investimentos, pertença de Carlucci).
E Albarran - com o mesmo entusiasmo com que, anos antes, anunciava que a embaixada de Espanha estava a arder - aceitou.
Já tinha aceite, antes, fazer propaganda a uma pasta dentífrica, com excelentes resultados financeiros... mas agora tratava-se de um negócio de outra dimensão...

A Euroamer nasceu em 1996, carinhosamente apadrinhada pela embaixada dos EUA e pelo Governo de António Guterres.
E apadrinhado por tais padrinhos, o homem de Carlucci lançou-se ao trabalho.
E fez o que pôde...

Em Abril vai ser julgado por «burla ao Estado».

Ah, já me esquecia: Albarran, «cujo paradeiro é alegadamente desconhecido», será defendido pelo «advogado João Nabais».

E pronto: para já, é tudo sobre este «herói do nosso tempo».
Em Abril se verá...

12 comentários:

Justine disse...

Tudo isto enoja!

smvasconcelos disse...

Que vida "Rocambolesca"... e como sempre, à custa de "coisas estranhas (ou não...)".
Beijo,

Antuã disse...

Este Artur é uma figura repelente.

Olaio disse...

história curiosa sem duvida desta personagem um tanto sinistra

samuel disse...

Bastava saber da defesa pelo João Nabais, para perceber, se não o peso do bicho, pelo menos o peso daqueles com que está envolvido.

Abraço.

Graciete Rietsch disse...

Previsível a gloriosa vida deste homem. Pois se a mafia toda está com ele! O que eu espero é que Abril os venha a julgar, a ele e a todos os mafiosos acompanhantes.

Um beijo.

poesianopopular disse...

Então camarada, o homem vai ser absolvido por falta de provas, e, logo de seguida vai processar o Estado, por difamação e ofensa ao seu bom nome e, talvez até consiga uma ideminização de uns milhares.
Para quê palavras - é mais um(artista)made in USA.
Abraço

Anónimo disse...

Desgraçadamente, o mais provável é que em Abril se verá que... nada se há-de vêr.

Rui Silva

Maria disse...

"Já tinha aceite, antes, fazer propaganda a uma pasta dentífrica, com excelentes resultados financeiros..."
Só TU, Fernando Samuel. Esta é de mestre!

Em Abril? Águas de março, de abril e de bacalhau...

Um beijo grande!

Pintassilgo disse...

Este Albarrran mete nojo ao próprio nojo.

Fernando Samuel disse...

Justine: faz vómitos...
Um beijo.

smvasconcelos: especialmente «ou não...»...
Um beijo.

Antuã: um mete nojo...
Um abraço.

Olaio: no mínimo sinistra...
Um abraço.

samuel: ora bem...
Um abraço.

Graciete Rietsch: vamos ver o que acontece, mas...
Um beijo.

poesianopopular; tudo isso é bem possível que venha a acontecer...
Um abraço.

Rui Silva: é bem provável...
Um abraço.

Maria: lembras-te dos dentes dele?...
Um beijo grande.

Pintassilgo: bem visto.
Um abraço.

Anónimo disse...

Não é preciso inventar...

Nunca ninguem assacou o assalto á Embaixada de Espanha e do Consulado, ao PCP.

Nem na época nem hoje.

A acção de protesto, contra o assassinato pelo FASCISTA FRANCO , de vários militantes anti-fascistas espanhóis , foi levada a cabo e reivindicada, por forças da então chamada esquerda revolucionária, a UDP, a FEC, o PRP etc, a que se poderão ter juntado militantes ou simpatizantes de outras forças de esquerda, como o PCP ou o MDP.

E que acabou por terminar com uma carga dos comandos da Amadora, que aos tiros DE BALA REAL, irromperam na Praça de Espanha, talvez o prenúncio do que iriam fazer pouco tempo depois, no 25 de Novembro.

A essa acção, seguiu-se na manhã seguinte, outra levada a cabo por militantes anti-fascistas, que impediram por varias horas, a partida do SUD Express para Madrid, e pincharam varias carruagens, com palavras de ordem contra Franco.

Estavamos em 1975, e a solidariedade com os combatentes anti-fascistas espanhóis, não se ficava só por manifestos e a escritos piedosos.....