POEMA

DIÁLOGO QUASE POESIA


Tu sabes, mãe - disse o pássaro - os aviões também voam.
- Voam mas não têm coração. Engolem homens aos milhares.
- Para quê?
- Para que o voo seja pago.
- Voo pago? Como pode ser pago e ser voo?
- É por isso que os aviões não cantam. Só nós cantamos
porque ninguém pode comprar o nosso voo.


Sidónio Muralha

(«Que Saudades do Mar» - 1971)

6 comentários:

Maria disse...

Que maravilha!!!
E ninguém pode comprar o nosso voo!

Um beijo grande.

Justine disse...

Que belo!

Graciete Rietsch disse...

Lindo!!! ´Nós voamos, cantando, porque a recompensa que esperamos é umoutro amanhã,
Maravilhoso Sidónio Muralha!!!!!!
Beijos.

samuel disse...

Muito bonito!
Infelizmente, alguns que já antes foram aves e cantaram... acabaram no circo a fazer habilidades.

Abraço.

GR disse...

Tanta beleza e verdade!

Bjs,

GR

Fernando Samuel disse...

Maria: ninguém!
Um beijo grande.

Justine: belo, sim.
Um beijo.

Graciete Rietsch: um amanhã que conquistaremos.
Um beijo.

samuel: esses são os ex-pássaros que passaram a passarões...
Um abraço.

GR: é verdade.
Um beijo.