UM PRECEDENTE INSIGNIFICANTE...

O governo de Uribe - depois de vários desmentidos - reconheceu que o exército colombiano usou a insígnia da Cruz Vermelha na «operação de resgate» de Ingrid Betancourt.

Uribe apresentou as suas desculpas à Cruz Vermelha.
A Cruz Vermelha aceitou as desculpas de Uribe.

Trata-se de um precedente grave, tanto mais que, como é sabido, à luz das leis internacionais, a utilização abusiva do símbolo da Cruz Vermelha é considerada «crime de guerra».
No entanto, a poderosa campanha mediática desencadeada em torno dessa «operação de resgate» reduziu a zero a gravidade dessa utilização abusiva - e o precedente grave passa a precedente insignificante.

Contrariar, minimamente que seja, os crimes do fascista Uribe é visto como coisa de gente terrorista e, portanto, na calha para integrar a famosa «lista» do Governo dos EUA.
E ai de quem passe a fazer parte de tal «lista»!...

4 comentários:

poesianopopular disse...

Eles permitem-se ser mais terroristas que os próprios terroristas, radicalizam as suas ideias e as suas práticas, e depois esperam o quê?
Compreensão, e boa vontade? Porquê?
Quantas mortes terão que custar, uma democracia?

Fernando Samuel disse...

josé manangão: esperam que a sua vontade seja integral e obedientemente acatada.
Um abraço.

Antuã disse...

E a Cruz Vermelha presta-se a estas coisas. Se por esse Mundo fora os seus dirigentes forem do jaez dos de cá a coisa é completamente compreensível.

Fernando Samuel disse...

antuã: é bem possível que sejam...