POEMA

O MESMO CORAÇÃO E A MESMA CABEÇA

Não é para me gabar,
mas atravessei de um jacto, como uma bala,
os meus dez anos de prisão.

E se deixarmos de lado as dores no fígado,
o coração está igual,
a cabeça é a mesma de antes.

Nazim Hikmet

3 comentários:

samuel disse...

Não se gaba, mas bem que podia!... Em contraste com tantos que vivendo em liberdade não podem gabar-se do mesmo...

poesianopopular disse...

Aonde mora a justiça não cabe o arrependimento!

Fernando Samuel disse...

samuel: e ninguém lhe levava a mal...

josé manangão: exacto!