O SILÊNCIO DOS CULPADOS

O Cravo de Abril denuncia uma vez mais o silêncio a que os jornais portugueses têm remetido o assassinato do dirigente sindical boliviano Guillermo Rivera.
Silêncio absoluto, isto é: nem uma palavra.

Não é por falta de espaço, obviamente (acabei de comprar o DN e o Público e constato que carreguei para casa 344 páginas...)
Esse silêncio é intencional e faz parte do posicionamento desses jornais face ao problema colombiano:
eles são apoiantes caninos do governo narco-fascista de Uribe e apoiam os seus crimes;
eles são coniventes com a repressão uribista, as prisões cheias, as torturas, os assassinatos - e só não aplaudem explicitamente essa barbárie porque isso podia borrar a imagem que tentam fazer passar de jornais independentes, isentos imparciais e ao serviço da democracia...

O seu silêncio em relação ao assassinato de Guillermo Rivera é o silêncio vergonhoso dos culpados.

7 comentários:

zambujal disse...

A palavra que me (as)salta é: CÚMPLICES!
Só nos resta insistir.
Abraço

samuel disse...

Infelizmente, para eles, é um silêncio que diz tudo...
É necessário que as pessoas vão abrindo ou ouvidos tanto para as palavras como para estas cobardes ausências delas.

Abraço

Crixus disse...

O silencio deles vale mais que todas as declarações de apoio ao regime de Uribe...

Antuã disse...

o silêncio dos criminosos.

poesianopopular disse...

Gabo-te a paciência em teres ido dar dinhiro por esses pasquins!
De mim não levam eles nem um tusto!
Era o que faltava estar a dar dinheiro aos que calam assassinatos, e inventam mentiras.

Maria disse...

Estás coberto de razão!
Obrigada, Fernando Samuel

Fernando Samuel disse...

zambujal: cúmplices: justamente.

Abraço.

samuel: às vezes a ausência de palavras vale... por mil palavras...

Abraço.

crixus: é um silêncio cheio de confissões...

Abraço.

antuã: outra boa definição...

Abraço.

josé manangão: o meu problema é que tenho mesmo de os ler...

Abraço.

maria: estamos...

Beijo.