VIVA A FRAUDE E QUEM A PREMIAR

O Sol, na sua última edição, revela que José Oliveira e Costa (lembram-se dele?), quando abandonou (isto é: quando foi obrigado a abandonar; isto é: quando foi preso) a Sociedade Lusa de Negócios (SLN) e o Banco Português de Negócios (BPN), recebeu, «a título de compensação», 790 mil euros - dinheiro que lhe foi pago logo na altura - e uma «pensão vitalícia no valor bruto mensal de nove mil euros» - que vai de 1 de Janeiro de 2010 «até ao seu falecimento». Para além, é claro, do carro que estava a usar como administrador.

Assim se faz justiça - justiça justa e célere, aliás...
A confirmar que não há nada como uma pessoa envolver-se em actividades fraudulentas para ter o seu futuro garantido:
se as fraudes forem detectadas, pode, na pior das hipóteses, passar uns dias na prisão com tratamento VIP, após o que receberá, como prémio, uma bruta «indemnização»;
se, como estou em crer que na maioria dos casos acontece, as fraudes não forem detectadas, então... eles andam por aí...
Dito de outra forma: cada profissional de fraudes tem sempre um profissional de prémios que espera por si...

Em qualquer dos casos, não têm nada a perder - e têm tudo a ganhar.
É assim o mundo dos negócios - perdão: dos Negócios...

Por isso digo: Viva a fraude e quem a premiar!

11 comentários:

Graciete Rietsch disse...

Neste país, melhor na grande maioria do planeta, inteligentes são os grandes vigaristas. Esses sim vivem os seus direitos em pleno. Quanto aos outros, os que lhes concedem esse privilégio, nem sequer existem, são insigniicantes. Mas são uma imensa maioria.ACORDAI!!!!!!!!!!!
Beijos.

Maria disse...

Triste país o nosso...
Disseste tudo.

Um beijo grande

joão l.henrique disse...

Não estamos sem rumo! caminhamos todos para o abismo...
Abraço

Medronheiro disse...

Nós, os honestos, que não somos modernos nem inovadores, é que somos parvos!...

duarte disse...

eu dava-lhes os prémios... tenho um banco à mão de semear, pode ser que calhe...

samuel disse...

Até quem não tem nada que ver fica envergonhado...
Que raio de país!

Abraço.

salvoconduto disse...

Desculpa lá mas eu não percebi lá muito bem. Se eu assaltar o BPN dar-me-ão alguma reforma? Quanto é preciso roubar?

poesianopopular disse...

Enganar-nos-emos, se chamarmos a esta gente de terroristas financeiros?
Abraço

smvasconcelos disse...

...Um país onde o crime compensa e recompensa.
Lastimável.
beijo,

CRN disse...

Não foram os empregados da SLN que patrocinaram a campanha eleitoral do cavaco?
Não era no BPN que o cavaco e a filha tinham umas acções, que provavelmente nem eles sabiam, e que quando o casino de wall street começou a afundar as venderam com um beneficio inusitado?
Então, mas se a sede da SLN foi construida pelo carlucci, se por lá passaram os nomes mais "ilustres" da praça, e até no mesmo edificio mantém o quartel general o BPN, como podemos pensar que montesquieu era um tipo sério se esta corja anda toda à solta e a carregar sacas de dinheiro como pagamento pelos serviços prestados ao imperialismo? Isto anda tudo ligado, tão ligado como o ADN de um país que cada vez mais perde essa condição para se tornar colónia, ligado por pontes de hidrogénio (a questão é como queimá-las).

Fernando Samuel disse...

Graciete Rietsch:...«homens que dormis»...
Um beijo.

Maria: tu é que disseste tudo...
Um beijo grande.

João I. Henriques: o barrando de cegos?...
Obrigado pela visita e pelo comentário.

Medronheiro: mas somos assim, não há nada a fazer...
Um abraço.

duarte: chega-lhes!...
Um abraço.

samuel: isso porque a desvergonha já está para além de todos os limites imagináveis...
Um abraço.

salvo conduto: quanto maior for o roubo, maior é reforma, obviamente...
Um abraço.

poesianopopular: é uma boa designação...
Um abraço.

smvasconcelos: e mais do que recompensa...
Um beijo.

CRN: demonstraste inequivocamente que isto anda tudo ligado...
Um abraço.