O BEATO NAZI

A notícia, breve, saiu no Correio da Manhã de hoje, e diz assim:

«Reagindo a acusações de que Pio XII silenciou o Holocausto, Bento XVI afirmou ontem que o Vaticano ajudou judeus de "forma dissimulada e discreta" na II Guerra».

A notícia trouxe-me à memória um livro publicado em finais dos anos 60: «Os Assassinos entre Nós», de Simon Wiesenthal.
O autor - que ficou conhecido como «o caçador de nazis» - tinha estado preso vários anos num campo de concentração e, após a libertação, dedicou a sua vida a perseguir assassinos nazis, numa busca que levou à prisão de cerca de 1 100 criminosos.

Conta Wiesenthal nesse livro que a sua perseguição a nazis em fuga, o conduziu com frequência até... ao Vaticano, onde lhes perdia o rasto...
E por que é que lhes perdia o rasto?
Porque, muitos criminosos nazis que tentavam fugir à justiça, procuravam ajuda no Vaticano e aí conseguiam passaportes que lhes permitiam, com nomes falsos, refugiar-se em diversos países, particularmente da América do Sul.

Assim, Bento XVI - que, na altura em que o nazi-fascismo tentava concretizar o seu projecto de domínio do mundo, era membro da «juventude hitleriana»- prepara-se agora para beatificar um indivíduo que:

1 - ajudou vítimas do nazismo de forma tão «dissimulada e discreta» que ninguém se apercebeu disso...; e que:

2 - ajudou criminosos nazis certamente de forma ainda mais «dissimulada e discreta» - mas que foi detectada e justamente denunciada; e que:

3 - a concretizar-se a intenção do papa alemão, o referido indivíduo, Pio XII, poderá vir a ficar conhecido como o beato nazi...

7 comentários:

samuel disse...

"Há que dizer-se das coisas
o somenos que elas são..."

Abraço.

Maria disse...

E devia ficar. Para que a igreja não esqueça o que fez.
Que raiva!

Um beijo grande

Antuã disse...

Eu não quero ser santo.

poesianopopular disse...

Em nome de deus, tudo é possível.
Abraço

Manuel Rodrigues disse...

Então e as ligações do vaticano à Mafia, tantas vezes denunciadas, por exemplo no livro "Em Nome de Deus" de David Yalup... Então e as perseguições à Teologia da Libertação, para já não falar da Inquisição, do Velho Galileu, de Giordano Bruno, etc...Este Vaticano está com o deus dos poderosos e nada tem a ver com os "filhos de um deus menor"...

smvasconcelos disse...

Ia comentar, mas contenho-me.... não ia resistir a uns desabafos menos próprios para este meio.
Obrigada pela tua informação. Não me surpreendeu, mas é impossível não me indignar com isto. (irra!|)
beijo,

Por Justiça disse...

"...que, na altura em que o nazi-fascismo tentava concretizar o seu projecto de domínio do mundo, era membro da «juventude hitleriana»".
acho esta frase de uma falta nível intelectual e muito criticável.
o Papa quando pertencia à Juventudes do hitler era um puto, meteram-lhe na cabeça que o nazismo era maravilhoso sem que ele pudesse ter liberdade de pensamento.
digam-me uma coisa, em portugal houve no tempo do salazar a mocidade portuguesa. muitos jovens foram obrigados a ir para lá. e depois? esses jovens são criminosos por isso? têm de ser discriminados ou crucificados por isso, uma coisa que esses putos nao tiveram culpa?
o que aconteceu ao Papa e muitos jovens nazis, tal como aconteceu cá foi proprio da época de ditaduras.
acho aquela afirmação totalmente descontextualizada com a realidade e da verdade.