POEMA

HÁ RATOEIRAS!


Quando vierem, como feiticeiros,
tirar-te o espírito do corpo,
obstina-te, irmão!
Não,
não
e não!,
seja qual for a habilidade
e a humanidade
da encantação.

Lembra-te dum cortiço!
O que ferve lá dentro e dá favos de mel,
é que presta.

Mas se querem a festa
da tua morte,
então,
que levem tudo no caixão:
a alma e o suporte!


Miguel Torga

4 comentários:

smvasconcelos disse...

"O que ferve cá dentro é o que presta" e obstinamo-nos a qualquer "encantação" que intente corromper-nos a alma...
beijo,

samuel disse...

É preciso ir tirando os "encantos" aos encantamentos...
Desmascarar as habilidades...

Abraço.

GR disse...

Podem levar tudo!
a Convicção, Vontade e o sonho num futuro melhor, essse ninguém pode levar!

bjs,

GR

Fernando Samuel disse...

smvasconcelos: e as «encantações» espreitam-nos todos os dias...
Um beijo.

samuel:... desarmar as ratoeiras...
Um abraço.

GR: É isso mesmo.
Um beijo.