POEMA

PROSPECÇÃO


Não são pepitas de oiro que procuro.
Oiro dentro de mim, terra singela!
Busco apenas aquela
universal riqueza
do homem que resolve a solidão:
o tesoiro sagrado
de nenhuma certeza,
soterrado
por mil certezas de aluvião.

Cavo,
lavo,
peneiro,
mas só quero a fortuna
de me encontrar.
Poeta antes dos versos,
e sede antes da fonte.
Puro como um deserto.
Inteiramente nu e descoberto.


Miguel Torga

5 comentários:

Justine disse...

Espantoso poema. Desejo de todos nós...

samuel disse...

"Poeta antes dos versos"

Se ainda não se tinha encontrado, já fazia uma boa ideia do que iria encontrar...

Abraço.

Maria disse...

É um poema lindíssimo! Fiquei arrepiada...

Um beijo grande

Silvana Nunes .'. disse...

Olá, boa tarde.
Linda poesia.
Sou professora, pesquisadora e contadora de histórias.Vivo de blog em blog angariando leitores e tentando divulgar o meu pelo simples fato de perpetuar a história de meu país - tenho medo que ela seja engolida por toda essa globalização.
Se gostar de meu esdpaço e achar minha proposta coerente, por favor SIGA-ME nesta luta por um mundo melhor.
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... está convidando para conhecer uma lenda bastante contemporânea - a do pássaro-cabeça-de-vento.
É só clicar no link http://www.silnunesprof.blogspot.com que você chega até lá rapidamente.
Gostaria que tivesse um pouquinho mais de paciência comigo, estou com alguns probleminhas para resolver: preciso de um novo exame de vista e de um monitor novo, o meu está meio embaçado, já tentei regular, mas o problema está com ele mesmo, tenho de comprar outro. E agora não me encontro em condições disso - só eu sei o sacrifício que faço para postar as histórias.
Se já passei por aqui, mil perdões. Como disse, a falta dos meus óculos e esse monitor com problemas não me deixam enxergar direito.
Que os bons ventos soprem a seu favor neste ano de 2010.
A PAZ .
Saudações Florestais !

Fernando Samuel disse...

Justine: sonho e objectivo de todos nós...
Um beijo.

samuel: sim, estava à vista...
Um abraço.

Maria: é, de facto, lindíssimo.
Um beijo grande.

Silvana Nunes: irei visitá-la, pois claro. Saudações amigas.