POEMA

HERÓICAS


VI

(Garcia Lorca foi fuzilado.)


Terra:
endurece mais!

Recusa a abrir-te em cova
para esconder o Poeta
no rumor das raízes.

Deixa-o apodrecer no chão
como uma bandeira de carne de remorsos.


José Gomes Ferreira

7 comentários:

Maria disse...

Tremendo grito de revolta!
Belíssimo.

Um beijo grande.

Justine disse...

E ele, o poeta, não ficou escondido,continua bandeira!

smvasconcelos disse...

A terra não se abriu em cova, o Poeta sobreviveu!Grande poema!
beijo

samuel disse...

E foi o que a Terra fez!

Abraço.

GR disse...

E o poeta colocado sobre a terra floresceu, brotando belos poemas.

Bjs,

GR

Graciete Rietsch disse...

Também quero aqui recordar Garcia Lorca, morto pelos assassinos fascistas logo no início da Guerra civil de Espanha, pela sua extraordinária alocução ao povo de Fuentevaqueros na inauguração da respectiva biblioteca em 1931. Homem da cultura, da paz, da justiça, como é possível perdoar aos seus assassinos e aos que ainda hoje o voltariam a fazer? "Não perdoaremos" diz Joaquim Namorado e diz José Gomes Ferreira ao arvorar a morte de Federico como bandeira de luta.
Um beijo e mais uma vez obrigada por nos apresentares estes maravilhos poetas empenhados na luta e usando, como armas, suas palavras.

Ana Camarra disse...

"...a la 5 de la tarde!!