A MEMÓRIA DO CANDIDATO

Haverá um «acordo entre PS e PSD», visando o entendimento dos dois, na base de uma «troca de cedências mútua», no «Orçamento do Estado e na revisão da Constituição»?

Sobre o assunto pronunciou-se o candidato de Sócrates e Louçã às presidenciais.
Em declarações proferidas na Amadora, Manuel Alegre rejeitou liminarmente tal hipótese: «Não me passa isso pela cabeça» - e explicou as suas razões: «porque isso seria uma degradação da democracia».

São louváveis as razões de Manuel Alegre - embora algo estranhas e um pouco tardias...
Na verdade, como Alegre sabe por experiência própria - e, portanto, melhor do que ninguém - a «degradação da democracia» tem sido a tarefa principal do PS e do PSD ao longo dos últimos 34 anos.
Com efeito, durante essas mais de três décadas a Constituição foi revista sete vezes - sempre através de acordos PS/PSD - e foram aprovados dezenas de orçamentos do Estado de governos ora PS ora PSD, mas todos servindo a política de direita.

Ora, se puxar um pouco pela memória, Manuel Alegre facilmente recordará as suas responsabilidades pessoais nessa «degradação da democracia» - e facilmente constatará que «o processo de revisão constitucional» em curso e as declarações de uns e de outros sobre a matéria, se inserem na preocupação, comum ao PS e ao PSD, de servir a política de direita que ambos, alternadamente, têm vindo a praticar ao longo dos últimos 34 anos - e que ambos desejam prosseguir seja qual for o candidato eleito nas próximas presidenciais...

8 comentários:

Graciete Rietsch disse...

A memória deles é muito curta e, apesar das pretensas actuais divergências,a aproximação já está à vista.

Um beijo.

samuel disse...

Alegre tem uma grande colecção de belas frases!

Abraço.

Maria disse...

Se ele pensasse... ficava calado. Mas anda por aí a assobiar para o lado...

Um beijo grande.

joão l.henrique disse...

O Manuel Alegre será que não tem memória política ou anda a tentar enganar o eleitorado? Para mim são os dois em um.

carol disse...

A democracia, como tudo, degrada-se com o uso. E o Louçã não a tem degradado? E o PC não a tem degradado?

smvasconcelos disse...

A memória de usn é mesmo curta...
beijo,

Antuã disse...

esse pateta alegre só engana os incautos ou os que gostam de ser enganados.

Fernando Samuel disse...

Graciete Rietsch: a memória deles só memoriza o que lhes interessa...
Um beijo.

samuel: é grande mestre em frases...
Um abraço.

Maria: calado?:isso nunca!...
Um beijo grande.

joão l.henrique: também me inclino para a hipótese do 2 em 1...
Um abraço.

carol: a meu ver, não: o PCP, como a sua história inequivocamente mostra, não só não tem degradado com tem dignificado a democracia.
Obrigado pela visita e pelo comentário.

smvasconcelos: curtinha, curtinha...
Um beijo.

Antuã: que, infelizmente, ainda são muitos...
Um abraço.